domingo, 1 de julho de 2018

Presidente das Filipinas chama Deus de “idiota” e revolta população católica

"Que tipo de religião é essa? Não posso aceitá-la", bradou Rodrigo Duterte.

Imagem: Isaac Lawrence/ AFP
O presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, voltou a fazer declarações polêmicas, que causaram revolta entre a população do seu país, onde mais de 80% são católicos. Ele chamou Deus de “idiota” durante uma cúpula na cidade de Davao, onde falou em seu discurso sobre o conceito bíblico de pecado original.
“Adão comeu [o fruto proibido] e ali nasceu a maldade. Quem é esse Deus idiota?”, questionou. “Ele é um filho da $%#@ se foi isso que aconteceu. Você cria algo perfeito e depois pensa em um evento que destruiria a qualidade do seu trabalho?”.
Prosseguiu dizendo que “Foi um ato cometido por sua mãe e pai. Você nem nasceu ainda, mas já tem o pecado original. Que tipo de religião é essa? Não posso aceitá-la”, bradou o líder filipino.
Em seguida, afirmou sua crença em uma “mente universal”. “Acredito que existe uma mente universal. […] Não a vejo como um ser humano. […] Mas eu realmente acredito, eu tenho esta fé em algo permanente – mas não confio em religião”, assegurou.
Duterte fez declarações semelhantes no início deste mês, durante sua reunião com uma comunidade filipina na Coreia do Sul. “Se este é o Deus dos católicos, é uma mentira. Busquem um Deus certo”, insistiu.
Os comentários provocantes de Duterte em relação a Deus irritaram a cúpula da Igreja Católica. O bispo católico Arturo Bastes respondeu, chamando o presidente de “louco” e exortando os fiéis a rezarem para que suas “declarações blasfemas e tendências ditatoriais” terminassem.
No passado, o presidente filipino admitiu que tinha raiva dos católicos porque foi abusado por um padre quando criança. A Igreja Católica vem sendo uma crítica feroz das políticas do presidente desde que ele assumiu o poder, especialmente no tocante ao uso da pena de morte contra traficantes. Com informações de Russia Today

Israel vai “reabastecer” o mar da Galileia, após anos de seca

Foto: Oded Balilty/AP
Chamado de “mar da Galileia” na Bíblia, o “lago de Tiberíades” ficou conhecido por ser o local onde Jesus andou sobre as águas e os apóstolos pescavam. Em 2018, ele alcançou seu nível mais baixo em um século. Esse é o resultado de vários anos de “inverno seco”, onde quase não choveu no país.
As autoridades israelenses anunciaram que irão “reabastecer” o lago com água do mar dessalinizada. O  projeto prevê 100 milhões de m³ de água sendo jogados no local todos os anos, até 2022.
A informação foi dada pelo representante do Ministério de Energia e Água de Israel, Yechezkel Lifshitz às agências de notícias internacionais.
Medindo cerca de 19 quilômetros de comprimento e 13 km de largura, o lago tem no rio Jordão seu principal afluente. A água passará a ser levada por um dos rios que afluem no lago, garantindo também o abastecimento de água para a população local.
Estão em construção duas unidades dessalinizadoras de água do mar na Galileia Ocidental, norte de Israel, e em Nahal Sorek, no sul do país. Elas irão produzir 300 milhões de m3 de água dessalinizada todos os anos.
Ainda segundo Lifshit, 80% da água potável consumida pelos lares israelenses procede das cinco plantas de dessalinização, que proporcionam 670 milhões de m3 de água. A região de Tiberíades era abastecida somente pelo lago de mesmo nome.
“Vamos transformar o lago em reserva de água dessalinizada, algo que ainda não tinha sido feito até agora”, comemorou o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu.

Ministro da Defesa de Israel: “A paz no Oriente Médio só virá com a chegada do Messias”

“Se o Irã nos atingir como chuva, cairemos sobre eles como um dilúvio”, disse o ministro da Defesa de Israel, Avigdor Liberman ao comentar sobre as recentes ações do exército israelense contra alvos iranianos na Síria.
As Forças de Defesa de Israel (IDF) destruíram quase toda a infraestrutura militar do Irã em território sírio, explicou Liberman ao falar sobre a resposta aos cerca de 20 foguetes disparados contra Israel na semana passada. Quatro foram abatidos pelo sistema de defesa Cúpula de Ferro, e os outros 16 caíram na região de Golã pertencente à Síria.
Ao todo, a IDF fez ataques aéreos contra cerca de 50 locais de treinamento militar iraniano, posições de lançamento de foguetes, e depósitos de armazenamentos comandados pela força Al-Quds dos Guardas da Revolução Iraniana.
Liberman disse ainda que seu país “não permitirá que o Irã torne a Síria uma base para atacar Israel”. “Há muitos países islâmicos radicais, mas o Irã é o único que está realmente implementando sua ideologia em todo o Oriente Médio e norte da África.”
“O Irã já gastou cerca de US $ 13 bilhões na guerra da Síria e continua investindo uns US$ 2 bilhões por ano lá”, ressaltou.
Ao comentar sobre as manifestações de palestinos nas últimas semanas, o ministro da Defesa deu uma declaração surpreendente.
“A paz no Oriente Médio só virá com a chegada do Messias”, disse ele. “Não há paz no Oriente Médio. Quem fala sobre isso nesta região está confuso sobre a sua geografia.”
Revelou ainda saber que “o [grupo terrorista palestino] Hamas tentará nos provocar nos próximos dias, especialmente com a abertura da embaixada dos EUA, mas estamos prontos”. “Eles não têm interesse em coexistência ou em cuidar de seu próprio povo, só querem nos destruir”. Com informações de Jerusalem Post

“Se quiser, Israel pode destruir Gaza em apenas uma hora”

Dori Goren
Dori Goren.
O cônsul-geral de Israel em São Paulo, Dori Goren, afirmou que “Israel poderia destruir a Faixa de Gaza em apenas uma hora. Mas não o faz porque esse não é seu objetivo”. Ao comentar sobre os violentos protestos de palestinos na Faixa de Gaza, afirmou que a culpa pelas mortes é do Hamas, grupo militar internacionalmente reconhecido como terrorista e que governa Gaza desde 2006.
“Culpamos o Hamas, cujo objetivo era motivar os palestinos a derrubar a cerca (da fronteira), invadir Israel para matar os judeus”, asseverou Goren. “Israel jamais permitiria que isso acontecesse”.
Para o Cônsul, apesar dos esforços para evitar mortes, lançando de avião avisos sobre as consequências, o grupo terrorista expôs à artilharia de Israel propositalmente.
“O Hamas age de forma cínica. Aquilo não era uma manifestação pacífica. O objetivo do Hamas era conquistar a simpatia dos meios de comunicação do mundo inteiro para com as vítimas palestinas”, protesta.
Afirmando ser “lamentável” cada vida perdida nesses embates, o diplomata lembra que há imagens mostrando manifestantes palestinos armados e carregando explosivos. Goren acredita que não havia outra maneira de conter a multidão de cerca de 40 mil pessoas, ameaçando invadir Israel, senão a artilharia e o gás lacrimogênio.
“Israel usou meio mortal porque, quando milhares de pessoas tentam atacar sua população, não há outra tecnologia para dissuadi-la”, explica. As críticas dos países árabes, em especial da Turquia, sobre o uso de força pelas Forças de Defesa de Israel, são classificadas pelo Cônsul como uma “hipocrisia desproporcional”.
Ele lembra que os países árabes historicamente são muito mais violentos contra sua própria população do que Israel em relação aos palestinos. Aponta, por exemplo, para a morte de milhares de opositores ao regime de Hafez al-Assad na Síria pelas forças do governo nos anos 80.
Os turcos, reforça Goren, dizimaram centenas de curdos. “Quem são os turcos para questionarem o nosso comportamento? Não vi os árabes apelando ao Conselho de Segurança quando Hafez al-Assad matou sírios”, questiona, numa menção ao pedido para que a ONU fizesse represálias a Israel.
Questionado sobre as declarações do presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, sobre Israel não ter cumprido os acordos de paz anteriores e ter parado com as negociações, Goren foi categórico: “Israel sempre quis fazer concessões, mas Abbas e Arafat nunca quiseram assinar os acordos”, disse, referindo-se a Yasser Arafat, líder da Organização para a Libertação da Palestina (OLA) e da Autoridade Palestina e seu sucessor. “Queremos a paz, mas a nossa tragédia é não termos com quem falar”, encerrou.
Marcha do Retorno
Desde março, todas as sextas-feiras, milhares de palestinos fazem protestos junto à cerca que divide os territórios. O nome dado ao movimento, “Marcha do Retorno”, alude ao desejo deles de “retomar” as terras que Israel “ocupou”.
Apesar da intensa campanha midiática em favor dos palestinos, que associaram as mortes com a abertura da embaixada dos Estados Unidos dia 14, o real motivo era, evidentemente, reforçar a narrativa que tentam impor desde 1948.
Anualmente, muçulmanos do mundo todo, comemoram o dia da “Nakba”, palavra árabe para “desastre”. É uma forma de lamentar a independência de Israel e a derrota dos países que tentaram invadir o seu território na Guerra da Independência.
Um dia após anunciarem a sua independência, os israelenses foram atacados por seis nações árabes: Egito, Síria, Iraque, Jordânia, Líbano e Arábia Saudita. Eles pediram que os cerca de 750 mil palestinos abandonassem suas casas para não morrerem. Lideranças árabes prometeram que, no final da guerra, eles poderiam voltar. Contudo, foram derrotados pelo pequeno exército de Israel.
Desde então, os palestinos alegam que são “refugiados”. Diferentemente de todos os povos do mundo que saíram de suas terras, esse status foi passado para seus filhos e netos, que nasceram em outras nações. Sendo assim, o contingente de refugiados palestino chega a 6 milhões de pessoas, distribuídas nos países vizinhos e nos territórios palestinos.

sábado, 21 de abril de 2018

A cada dia sigo caminhando!

Durante os anos que escrevo e/ou copio postagens para esse blog, temos observado uma mudança radical no comportamento das pessoas. Postamos uma mensagem profunda, que, caso seja feita uma leitura com profundidade, pode trazer muito conhecimento para a vida pessoal e cristã. No entanto, poucos dedicam uns minutos do seu tempo para fazerem uma leitura. Agora poste uma foto falando que duas mulheres e/ou homens se beijaram e vejam quantos milhões de visualizações ocorrem em um curto intervalo de tempo.
Isso representa uma mudança moral no comportamento das pessoas. A cada dia estamos valorizando mais o visual do que o real. Vivemos em um mundo de fantasias. Há pessoas que só conseguem ser felizes porque o seu time de coração ganhou, o ator preferido da novela deu o troco no vilão, e outras banalidades.
Deus não é mais a única esperança das pessoas. Já não representa mais a fonte de vida. A alegria permanente. O gozo profundo. A esperança é que o time ganhe. Que o dia da festa chegue.
Até onde vamos com tanta banalidade? Ninguém está nem ai para o que está acontecendo. Pensa-se que acabou os projetos de dominação. Jamais...Enquanto dormimos o sono da indolência, satã e seus aliados não dormem....os preparativos para o lançamento da marca da besta na Terra estão a todo vapor. Desperta tu que dorme...JESUS ESTÁ VOLTANDO!
Mas estamos vivendo dias semelhantes aos dias de Noé...Jesus está tardando. Outros nem falam mais nisso. Nos altares de muitas igrejas já não tem mais " O JESUS VEM BREVE". Oh que tristeza. A volta de Jesus não é mais tão importante assim. Perdeu-se a esperança. Mas será que ainda tardará?
A resposta é não. Estamos com o Projeto Lucenter pronto. Já é possível ver todo ser que se move na face da Terra, falta apenas alguns ajustes. Mas até 2025 tudo estará pronto. Esse será o maior sinal da volta de Cristo. Pois o controle total estará muito próximo. E haverá isso após Jesus retirar a sua igreja da terra. Logo, é tempo de despertar....é tempo de começar a valorizar o real e não o virtual. Começa a meditar nas coisas de Deus. Aqui tudo é passageiro. Não vamos levar nada daqui. Portanto, não adianta ganhar o mundo inteiro e perder a alma para satã. Se você ainda não aceitou o meu amado, o meu eterno, o meu grande e poderoso Deus....aceite-o. Pois Ele continua de braços abertos a te esperar. Mas não ficará te esperando por muito tempo. Hoje pode ser tua última chance....aceita-o. Te dou de presente este Jesus precioso. Ele é muito precioso para mim e é o que tenho de melhor. Mas posso compartilhar Ele contigo. Ele morreu por mim e por você. Logo seria egoismo de minha parte não falar  dEle pra você.
Eu não tenho pra onde ir....tenho Jesus como minha única saída. Não almejo o mundo nem o que nele há. Estou vivendo...procurando fazer o que acho que é certo. Não sou melhor que o mais miserável dos homens. O que me faz diferente são as multidões de misericórdias de Deus para comigo. Mas Ele é misericordioso com todos os homens. Basta voltar-se pra Ele. Basta abrir o coração pra Deus. Diga que o ama. Ou se achas grande? Respondo que não és. O que és é um pobre, miserável, cego e nu. E ainda consegue ser pior do que os outros descrendo e desobedecendo a Deus.
Maldito o homem que você está se tornando. Com esses males estais caminhado a passos largos para morar eternamente no lago de fogo com o diabo e seus anjos.
Você já nem sente mais quando peca....tudo já é normal. Se prostitue, rouba, mata, fala mau do próximo, levanta falso testemunho, mente, é idolatra, é corrupto, é avarento, é fornicador...mas tudo é normal.
Se não se voltares para Deus...Se não entregar a vida pra Ele cuidar e dirigir o teu viver...Estarás, em breve, em cadeias infernais. Só aguardando o dia do juízo final para ir morar eternamente com o diabo e seus anjos, a besta e o falso profeta.
Portanto, para sua reflexão, deixo Apocalipse 21
11 E vi um grande trono branco e o que estava assentado sobre ele, de cuja presença fugiu a terra e o céu, e não se achou lugar para eles. 
12 E vi os mortos, grandes e pequenos, que estavam diante do trono, e abriram-se os livros. E abriu-se outro livro, que é o da vida. E os mortos foram julgados pelas coisas que estavam escritas nos livros, segundo as suas obras. 
13 E deu o mar os mortos que nele havia; e a morte e o inferno deram os mortos que neles havia; e foram julgados cada um segundo as suas obras. 
14 E a morte e o inferno foram lançados no lago de fogo. Esta é a segunda morte. 
15 E aquele que não foi achado escrito no livro da vida foi lançado no lago de fogo.
Apocalipse 22
12 E eis que venho sem demora, e comigo está o galardão que tenho para retribuir a cada um segundo as suas obras.
13 Eu sou o Alfa e o Ômega, o Primeiro e o Último, o Princípio e o Fim.
14Bem-aventurados todos os que lavam as suas roupas no sangue do Cordeiro, e assim ganham o direito à árvore da vida, e podem adentrar na Cidade através de seus portais.
15No entanto, fora estão os cães, os bruxos e ocultistas, os que cometem imoralidades sexuais, os assassinos, os idólatras e todos os que amam e praticam a mentira. 
16Eu, Jesus, enviei o meu anjo para vos entregar este testemunho em relação às igrejas. Eu Sou a Raiz e o prometido Descendente de Davi, e a brilhante Estrela da Manhã.
Que Deus te abençoe e te guarde!

Cada Pessoa é Única


Rudi Joas
Você é uma pessoa criada por Deus! Essa é a coroação absoluta. A Bíblia diz bem objetiva e claramente: “Criou Deus o homem à sua imagem...” (Gênesis 1.27). Deus criou as pessoas para que sejam semelhantes a ele. Para viver de maneira sensata, para amar, se alegrar e para que possam ter comunhão pessoal com ele. A Bíblia nos mostra constantemente que Deus tem o maior interesse em cada pessoa. Por isso, lemos em uma bela oração do salmista, na Bíblia: “Eu te louvo porque me fizeste de modo especial e admirável. Tuas obras são maravilhosas! Digo isso com convicção” (Salmo 139.14). Deus conhecia você antes mesmo que nascesse. E, tanto naquele tempo como hoje, Deus tem planos para você. Planos que são caracterizados pelo amor dele.
Você é amado por Deus! Deus não é nenhum monarca frio e insensível. Ele sente nossa dor, ele compartilha de nosso sofrimento. Para ele nós temos valor e somos dignos de ser amados, apesar de muitas vezes seguirmos nossos próprios caminhos. Mesmo assim, Deus ainda nos atribui muito valor e simplesmente não desiste de nos amar. Ele nos ama tanto que até permitiu que seu Filho, Jesus Cristo, morresse por nós: “Nisto consiste o amor: não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou e enviou seu Filho como propiciação pelos nossos pecados” (1João 4.10). Pecados são atos, pensamentos e motivações que não coincidem com o caráter de Deus. O pior pecado aos olhos de Deus é o fato de querermos viver sem ele. De nos termos afastado dele e o abandonado, apesar dele ser o nosso Criador. E, por termos tanto valor para ele, Deus deseja perdoar nossos pecados para que não permaneçamos eternamente perdidos, mas que possamos estar eternamente junto dele, no céu. É tanto assim que ele ama a cada um de nós!
Receba o amor de Deus por meio de Jesus Cristo! Deus deseja nos conceder uma vida sensata. Se confessarmos os nossos pecados ao Senhor Jesus, o Filho de Deus, e lhe confiarmos nossa vida, então ele restaura aquilo que estava obstruído entre Deus e nós e faz um novo começo conosco. Você consegue reconhecer quanto valor você tem aos olhos de Deus? Percebe o quanto Deus o ama? Se você nunca havia orado a Jesus Cristo, então faça-o agora! Você não tem nada a perder, somente a ganhar. Ele venceu o pecado e até venceu a morte. Ele vive e espera por você! Ele deseja perdoar todos os seus pecados e conceder a você uma vida nova e eterna. No entanto, é necessário que você vá a ele, voluntariamente. Ore ao Senhor Jesus. Orar não significa declamar preces pré-formuladas, mas conversar com ele como se fosse uma pessoa ao seu lado, e em quem você pode confiar plenamente. Ele ouve e atende! — Rudi Joas

A Resposta de Deus


Norbert Lieth

Como Deus reage às tensões desse mundo? A resposta é assombrosa, e a aplicação para nossa vida de fé pessoal é mais uma vez tanto desafiadora como encorajadora.
Em um noticiário, a apresentadora perguntou se nós já estamos vivendo em uma sociedade liberada. As mudanças em nossa cultura de fato são drásticas. Os valores cristãos desmoronam. O casamento, a família e a moral são redefinidos. As evoluções são marcantes. Alguém opinou que os valores e as convicções cristãs seriam simplesmente varridos pelas torrentes das tempestades do fim dos tempos. De fato, estamos vivendo em um mundo que crescentemente se desvia e afasta de Deus. As confusões são constantes e as tensões aumentam. Para muitos tudo isso é quase insuportável. Cada grande acontecimento antecipa sua sombra; assim também será a ainda vindoura grande queda após o Arrebatamento da Igreja, quando surgir o Anticristo (2Ts 2.1-12). Por isso Paulo destacou já à sua época: “A verdade é que o mistério da iniquidade já está em ação” (v. 7). Cada desvio da Palavra de Deus, cada liberalidade, cada minimização, depreciação ou difamação da Palavra de Deus, no fundo, é anticristã e já abriga em si o mistério da iniquidade. As pessoas se afastam do amor à verdade e dão lugar à mentira.
Em uma carta aberta constava o seguinte: “Será que ninguém consegue ver a evidente relação entre a decadência espiritual na terra da Reforma e o desenvolvimento político-social de nosso país? Ninguém vê a relação entre os cultos mornos, com conteúdo bíblico crítico, adaptados ao espírito da época, com falta de confissão, de entrega e de participantes com a islamização? Não há relação entre os abortos, a ganância, a exploração no mercado de capitais, a frieza nas famílias e vizinhança, a taxa de divórcios... Não existe, de fato, nenhuma relação em tudo isso?”
A resposta de Deus para aqueles que rejeitam Sua Palavra é estarrecedora. Ela será dada quando Ele tiver recolhido Sua Igreja (2Ts 2.7) e quando surgir o Anticristo (2Ts 2.8; ver também Ap 17.13): “Por essa razão Deus lhes envia um poder sedutor, a fim de que creiam na mentira e sejam condenados todos os que não creram na verdade, mas tiveram prazer na injustiça” (2Ts 2.11-12).
A onda de refugiados não é um “acidente de percurso” no plano de Deus. O Novo Testamento nos ensina que devemos ir ao encontro de todas as pessoas no amor de Jesus e com disposição de ajudá-las.
Esse “poder sedutor” já não está visível? Na Suécia uma pastora sugeriu que os símbolos cristãos fossem retirados das igrejas e que fossem instalados nichos de oração para os muçulmanos. Nas igrejas alemãs o tapete para orações é desenrolado ou são lidas passagens do Corão com a observação que isso equivale à Palavra de Deus. A Bíblia, porém, é renegada. Alguns até já falam de algo denominado de “crislã”. O Islamismo fundamentalista muitas vezes é minimizado e justificado, com a alegação que precisa haver disposição para o diálogo. Nesse sentido, o intelectual e crítico do Islamismo, H. Abdel-Samad, de descendência egípcia, expressou-se da seguinte maneira em uma entrevista:
“Luta-se pela livre manifestação de opinião, desde que seja a favor do Islã. Luta-se pelos direitos humanos, desde que sejam a favor do Islã. Luta-se pela igualdade de direitos, desde que seja a favor do Islã”.
Abdel-Samad necessita de mais agentes de segurança pessoal do que muitos políticos. Não há explicação para o comportamento irracional de nossa sociedade, a não ser que se acredite que seja fruto das ciladas traiçoeiras de Satanás, dos poderes e autoridades, dos dominadores deste mundo de trevas e das forças espirituais do mal (Ef 6.11-12).
Em todas as áreas podemos constatar como o mistério da iniquidade age e avança para o sucesso. O escritor George Orwell diz: “Quanto mais a sociedade se afasta da verdade, mais ela tem ódio daqueles que a expressam”. E Martinho Lutero sabia: “Não pode sobrevir ira de Deus maior do que ser despojado da Sua Palavra”. Por isso, o resultado final será exatamente esse: a verdade será “tirada” das pessoas e em seu lugar serão instituídos o Anticristo e a mentira.
Um psicólogo constatou com sobriedade: “As massas nunca estiveram sedentas pela verdade; elas se afastam dos fatos dos quais se desagradam e preferem endeusar o engano. Aquele que consegue enganá-las torna-se facilmente seu senhor. Aquele que tenta esclarecê-las torna-se sua vítima".
A única esperança consiste na volta de Jesus e no estabelecimento do Seu reino. Karl Friedrich Hering expressou-se assim: “Não há reino de paz e justiça sem Cristo e para o mundo não há esperança sem que ele se submeta à soberania direta de Deus e de Seu Ungido”. Diante de todas as más notícias, a única notícia boa é que a Profecia Bíblica se cumpre. Ela nos informa, entre outros, que o iníquo poderá agir somente enquanto o Senhor lhe permitir e que o próprio Jesus terá a última palavra. “Eu sei que o meu Redentor vive e que no fim se levantará sobre a terra” (Jó 19.25).
Tudo será colocado como estrado aos pés do Senhor Jesus (Sl 110.1; Mc 12.36). Todo joelho se dobrará e toda língua confessará que Ele é o Senhor (Is 45.23; Rm 14.11; Fp 2.10-11). Sim, Ele é o Senhor dos Senhores (Ap 19.16). A carta aberta já mencionada diz ainda: “Deve ser pregado com voz de trovão, em todos os púlpitos do país, que Deus ainda vive, que Deus ainda está atento, que Deus ainda reina. A fé agora está no crisol e será provada pelo fogo, e não existe lugar de descanso mais seguro e abrangente para os corações e mentes exceto perante o Trono de Deus”.
Essa é nossa esperança também em relação às ondas de refugiados dos Estados islâmicos. Já vimos anteriormente como os cristãos devem lidar com esse desafio. Observe-se ainda o seguinte: não precisamos pensar que essas pessoas simplesmente vieram; elas não viriam se Deus não as tivesse enviado (ver Am 3.6). A onda de refugiados não é um “acidente de percurso” no plano de Deus. O Novo Testamento nos ensina que devemos ir ao encontro de todas as pessoas no amor de Jesus e com disposição de ajudá-las. Devemos procurar maneiras de alcançá-las com o Evangelho. Quem somente critica e amaldiçoa não está firmado no Novo Testamento. Muitas dessas pessoas, estando longe de sua pátria islâmica, ficam muito mais abertas para o Evangelho. Todas as pessoas estão inscritas na lista de desejos de Deus. Nós, cristãos, não devemos ser parte do problema; somos convocados para sermos parte da solução. H. Abdel-Samad, já mencionado anteriormente, diz: “Não devemos deixar as pessoas (refugiadas) entregues às associações islâmicas, pois é justamente ali que elas são influenciadas e instrumentalizadas de modo conservador para o Islamismo”.
Thomas Lachenmaier frisou no periódico factum: “As más notícias são transformadas à luz da Bíblia. No final ficará evidente: a luz é mais forte do que a escuridão [...]. Tudo o que acontece – inclusive o pavor, a desobediência – foi incluído, foi inserido no Seu plano de salvação para o mundo. Todas as coisas estão nas mãos de Deus e acontecem para o bem”. Na mesma edição, Ingo Resch escreveu: “A Escritura Sagrada nos ensina que a história não é uma mera sequência casual de acontecimentos históricos inúteis”. Charles Haddon Spurgeon fala neste sentido: “Por mais escura que seja a noite, a manhã chegará”. Sendo cristãos, devemos ter sempre em mente: a vitória alcançada na cruz do Gólgota continua em vigor! Jesus voltará! “Em breve o Deus da paz esmagará Satanás debaixo dos pés de vocês. A graça de nosso Senhor Jesus seja com vocês” (Rm 16.20). — Norbert Lieth.
Norbert Lieth é Diretor da Chamada da Meia-Noite Internacional. Suas mensagens têm como tema central a Palavra Profética. Logo após sua conversão, estudou em nossa Escola Bíblica e ficou no Uruguai até concluí-la. Por alguns anos trabalhou como missionário em nossa Obra na Bolívia e depois iniciou a divulgação da nossa literatura na Venezuela, onde permaneceu até 1985. Nesse ano, voltou à Suíça e é o principal preletor em nossas conferências na Europa. É autor de vários livros publicados em alemão, português e espanhol.

Jim Caviezel diz que faz filmes para “trazer almas para Cristo”

Ator diz que perseguição aos cristãos em nossos dias é real e precisa ser mais divulgada


Jim Caviezel diz que faz filmes para "trazer almas para Cristo"

O ator Jim Caviezel, que fez o papel de Jesus no filme “A Paixão de Cristo” (2004), volta as telas esta semana no papel do evangelista Lucas em “Paulo, apóstolo de Cristo”.
Ele afirmou que escolheu fazer apenas filmes que acredita “trarão almas para Cristo” depois que Deus lhe enviou uma mensagem comovente nas gravações de seu último filme de sucesso. “Quando [Deus] chegou perto de mim durante ‘A Paixão’, quando eu estava na cruz, ouvi-o dizer: ‘Eles não me amam. Há muito poucos’”, revelou o artista.
Caviezel diz que a sua resposta foi “Eu vou amá-lo, Senhor, e vou dizer isso publicamente, não me importo”.
O ator foi enfático, ao dizer que tem “menos medo do Estado Islâmico do que da mídia” e lamentou que sofreu uma certa perseguição das produtoras por estar sempre falando de sua fé.
“É por isso que nosso Senhor lamenta. Seus filhos não o amam”, continuou. Convencido que está cumprindo uma missão em Hollywood, reiterou: “Eu sou tão abençoado porque eu posso transmitir essas histórias, mas quero fazer algo que possa trazer o maior número possível de almas de volta a Ele, mesmo aquelas que não acreditam”.
“Paulo, Apóstolo de Cristo” só chega ao Brasil em maio, mas o longa que tem James Faulkner (Guerra dos Tronos) no papel principal é amplamente baseado em Atos dos Apóstolos. Quase três décadas após a morte e ressurreição de Cristo, Paulo está numa prisão em Roma, aguardando a execução decretada pelo imperador Nero.
Enquanto isso, os primeiros cristãos estão sofrendo extrema perseguição, tendo sido culpados por um trágico incêndio em Roma. Nestas circunstâncias, Lucas visita Paulo na prisão, esperando colher sabedoria do apóstolo experiente que dará esperança aos cristãos das igrejas que já se espalhavam pelo mundo.
Segundo Caviezel o roteiro do filme é, ao mesmo tempo, histórico e atual. Afinal, os cristãos eram mortos pela espada e crucificados no primeiro século, enquanto vídeos de grupos terroristas como o Estado Islâmico revelam que isso continua acontecendo em pleno século 21.
Mesmo antes de começar a gravar, Caviezel já vinha participando de eventos para chamar a atenção para a Igreja perseguida. O ator disse que é inspirado por cristãos que, como Paulo, sacrificam tudo por sua fé, pois serão lembrados por amar a Deus de uma maneira especial.
Antes de assumir o papel de Lucas, ele disse que fez uma oração simples: “Senhor, eu não quero que o mundo me veja, eu quero que eles vejam a ti. O Senhor tem que se aproximar de mim”. Com informações Christian Post
previous arrow
next arrow
Joanne Whalley, Jim Caviezel, John Lynch. (Foto: Mark Cassar / Divulgação)
ArrowArrow

Cientista ateu sugere que carne humana cultivada em laboratório poderia ser consumida

Questionamento sobre “ética do canibalismo” suscita discussão entre acadêmicos

Richard Dawkins
Richard Dawkins
Richard Dawkins, o famoso biólogo evolucionista, ficou famoso mundialmente por seu um ativista em prol do ateísmo. Recentemente, levantou um questionamento que gerou uma série de reações no meio acadêmico.
Comentando um artigo sobre a possibilidade de carne cultivada em laboratório passar a ser comercializada até o final de 2018, questionou: “E se a carne cultivada for humana? Poderíamos superar nosso tabu contra o canibalismo? Seria um interessante teste de moralidade.”
A sugestão do conhecido autor de “Deus: um Delírio” é que o consumo de carne humana cultivada em laboratório pode ser eticamente aceitável, uma vez que ninguém precisou morrer.
A pergunta de Dawkins suscitou um debate entre alguns membros da sociedade científica. Owen Schaefer, professor do Centro de Ética Biomédica da Universidade Nacional de Cingapura, escreveu sobre o assunto, argumentando que a quantidade de pessoas interessadas em conhecer o gosto da carne humana seria muito pequena e que essa não seria uma “tendência”.
Ainda assim, ele admite que essa questão é mais comum do que se imagina. O professor Schaefer assegura que “certamente haverá pessoas que desejam experimentar a carne humana sintética”. Mencionou, por exemplo, a possibilidade de celebridades querer ganhar dinheiro vendendo a seus fãs “a oportunidade de provar o gosto do seu corpo”.
Em um artigo de 2014 no Journal of Applied Philosophy, Schaefer e seu co-autor, Julian Savulescu, tentou trabalhar com a ética de comer carne humana cultivada em laboratório. Eles não conseguiram encontrar argumentos filosóficos convincentes para chamar isso de antiético, disse Schaefer.
Ao mesmo tempo, Matti Wilks, doutora em psicologia na Universidade de Queensland, na Austrália, lembrou que fez uma extensa pesquisa, no ano passado, sobre a curiosidade das pessoas sobre o consumo de carne cultivada em laboratório.
Apenas um terço dos entrevistados afirmou que estaria disposto a comê-la com regularidade. Porém, ninguém tinha ideia de como ela era feita. A doutora Wilks afirmou: “Não consigo imaginar que as pessoas sintam-se motivadas a comer carne humana quando produzidas através da agricultura celular”.

Como a carne é cultivada em laboratório

Chamada de “Carne limpa”, essa carne sintética, produzida em laboratório, é resultado de um processo que começa com o isolamento das células dos suínos, gado ou aves, que possuem uma alta capacidade de regeneração. Com a adição de oxigênio, açúcares e outros nutrientes, as células são colocadas em tanques de biorreator, de onde serão recolhidas de nove a 21 dias depois. O processo, que dura alguns dias, pode ter seu crescimento celular impulsionado com a adição de “soro de sangue de vitelo”.
Em 2013 foi a primeira vez que carne cultivada em laboratório veio a público. Seu criador, Foi Mark Post, um farmacologista da Universidade de Maastricht, na Holanda, apresentou um hambúrguer feito com o experimento em uma coletiva de imprensa. De lá para cá, algumas empresas começaram a investir em técnicas para acelerar o processo e baratear os custos. A produção de um quilo custa o equivalente a 65 reais.
Hambúrguer de laboratório.
Segundo os especialistas, ela tem um valor nutricional muito semelhante a carne que consumimos, porém, com algumas vantagens. Por exemplo, por ser livre de antibióticos, matéria fecal, patógenos e outros contaminantes encontrados na carne convencional, reduz o risco de doenças transmitidas pelo alimento

Postagem em destaque

Presidente das Filipinas chama Deus de “idiota” e revolta população católica

"Que tipo de religião é essa? Não posso aceitá-la", bradou Rodrigo Duterte. por Jarbas Aragão Imagem: Isaac Lawrence/ AFP ...