segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Como Amo a Mim Mesmo?


Martin e Deidre Bobgan

Respondeu-lhe Jesus: Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento. Este é o grande e primeiro mandamento. O segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Destes dois mandamentos dependem toda a Lei e os Profetas" (Mt 22.37-40).
O mundo à nossa volta está promovendo o amor-próprio e a auto-estima. A auto-estima é um aspecto popular da psicologia humanista, que é baseada na crença de que todos nós nascemos bons e que a sociedade é a culpada. Esse sistema coloca o homem como a medida de todas as coisas. A ênfase no ego é exatamente o que começou no Jardim do Éden e se intensifica através dos ensinos humanísticos do amor-próprio, da auto-estima, da auto-realização e auto-etc. Promovendo a auto-estima, a Força-Tarefa Pela Auto-Estima na Califórnia foi a grande responsável por introduzir a ideologia e psicologia humanista nos setores público e privado. (É interessante notar que, em meados de 1988, a Força-Tarefa prestou tributo ao rei da auto-estima, James Dobson, destacando-o em seu boletim informativo. Além disso, seu livro Hide and Seek aparece na lista de leitura deles).
A influência da Comissão Pela Auto-Estima na Califórnia se espalhou pelos EUA. John Vasconcellos promoveu uma iniciativa em âmbito nacional sobre a auto-estima, semelhante à que introduziu na Califórnia. Vasconcellos deixou muito claro que o movimento da auto-estima deveria operar, como tem feito, contra o ensino que ele considerava antiquado, ou seja, que o homem é um pecador. Segundo ele, havia uma dupla visão da humanidade no país: (1) o homem como sendo pecador, e (2) como intrinsecamente bom. Ele declarou que esta era a questão subjacente do movimento da auto-estima. Por não crerem em Jesus Cristo, os humanistas seculares têm o ego como o único centro de interesse do indivíduo. Assim podemos entender por que aqueles que não conhecem a Cristo desejam amar, estimar e satisfazer o ego, pois é a única coisa que têm. E qual é a desculpa da Igreja?
O que há sob toda a retórica referente ao ego é um ataque ao Evangelho de Jesus Cristo.
O que há sob toda a retórica referente ao ego é um ataque ao Evangelho de Jesus Cristo, embora não se trate de um ataque frontal com limites de batalha claramente delineados. Ao contrário, na verdade é uma obra engenhosamente subversiva, não de carne e sangue, mas de principados e potestades, de dominadores deste mundo tenebroso, das forças espirituais do mal nas regiões celestes, tal como Paulo explicou na parte final da carta aos Efésios. É triste sabermos que muitos cristãos não estão alertas contra o perigo. É incontável o número dos que estão sendo sutilmente enganados por um outro evangelho – o evangelho do ego.
Percebemos que muita confusão tem envolvido a Igreja professa pelo uso da terminologia popular a respeito do ego. Em um extremo, encontramos pessoas como Robert Schuller que, de acordo com seu livro Self-Esteem: The New Reformation, parece ter abraçado inteiramente a postura humanista secular. Ele abomina o termo pecador e acredita que a pessoa deve desenvolver a sua auto-estima antes que possa conhecer a Jesus. Ele descarta por completo o que realmente conduz o indivíduo para a cruz de Cristo. Por outro lado, há os que, inconscientes das implicações e da confusão que tais palavras acarretam, vêm lançando mão desta terminologia. Adotando e adaptando-se aos conceitos da psicologia humanista, cristãos professos dizem que temos auto-estima, amor-próprio, valor-próprio, etc., por causa daquilo que somos em Cristo, mas a ideologia subjacente vem atrás.
Com o progresso da influência e da popularização da psicologia, a ênfase em Deus foi deslocada para o ego por uma grande parte da igreja professa. De formas muito sutis, o ego vai tomando o primeiro lugar e, assim, a atitude de ser escravo de Cristo é substituída pela de se fazer o que agrada e que seja para sua própria conveniência. O amor aos outros só é praticado se for conveniente.
Com toda esta ênfase no ego, é natural que os cristãos perguntem se é correto amar a si mesmo. Como Jesus responderia? Embora não seja ardilosa como as dos escribas e fariseus, a questão requer uma resposta "sim" ou "não". O "sim" leva facilmente a toda espécie de preocupação consigo mesmo. E o "não" conduz a um possível: "Bem, então devemos nos odiar?" Nem sempre Jesus respondia como esperavam seus ouvintes. Em vez disso, Ele usava a pergunta como oportunidade de lhes ensinar uma verdade. Sua ênfase sempre era o amor de Deus e o nosso amor a Ele e aos outros.
Lingüisticamente, em toda a Bíblia, o termo agapao é sempre dirigido aos outros, nunca a mim mesmo. O conceito de amor-próprio não é o tema do Grande Mandamento, mas apenas um qualificativo. Quando Jesus ordena amar a Deus "de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todo o teu entendimento e de toda a tua força" (Mc 12.30), Ele enfatiza a natureza abrangente desse amoragapao (amor-atitude, que vai além da capacidade do homem natural, sendo possível exclusivamente pela graça divina). Se Ele usasse as mesmas palavras para o amor ao próximo, estaria encorajando-nos à idolatria. Contudo, para o grau de intensidade de amor que devemos ao próximo, Ele usou as palavras "como a ti mesmo".
Jesus não nos ordenou a amar a nós mesmos. Ele não disse que havia três mandamentos (amar a Deus, ao próximo e a nós mesmos). Ele apenas afirmou: "Destes dois mandamentos dependem toda a Lei e os Profetas" (Mt 22.40). O amor-próprio já está implícito aqui – ele é um fato – não uma ordem. Nenhum ensino nas Escrituras diz que alguém  não ama a si mesmo. Paulo afirma: "Porque ninguém jamais odiou a própria carne; antes, a alimenta e dela cuida, como também Cristo o faz com a igreja" (Ef 5.29). Os cristãos não são admoestados a amar ou a odiar a si mesmos. Amor-próprio, ódio-próprio (que é simplesmente uma outra forma de amor-próprio ou preocupação consigo mesmo), e auto-depreciação (possivelmente uma desculpa para culpar a Deus por não conceder ao ego maiores vantagens pessoais), são atitudes centradas no eu. Os que se queixam da falta de amor-próprio geralmente estão insatisfeitos com seus sentimentos, habilidades, circunstâncias, etc. Se realmente odiassem a si mesmos, eles estariam alegres por serem miseráveis. Todo ser humano ama a si mesmo.
Em toda a Escritura, e particularmente dentro do contexto de Mateus 22, a ordem é dirigir aos outros todo o amor que o indivíduo tem por si.
Em toda a Escritura, e particularmente dentro do contexto de Mateus 22, a ordem é dirigir aos outros todo o amor que o indivíduo tem por si. Não nos é ordenado que amemos a nós mesmos. Já o fazemos naturalmente. O mandamento é que amemos os outros como  amamos a nós mesmos. A história do Bom Samaritano, que segue o mandamento de amar o próximo, não só ilustra quem é o próximo, mas qual é o significado da palavra amor. Nesse contexto, amor significa ir além das conveniências a fim de realizar aquilo que se julga ser melhor para o próximo. A idéia é que devemos procurar o bem dos outros do mesmo modo como procuramos o bem (ou aquilo que podemos até erradamente pensar que seja o melhor) para nós mesmos – exatamente com a mesma naturalidade com que tendemos a cuidar de nosso bem-estar.
Outra passagem paralela com a mesma idéia de amar os outros como já amamos a nós mesmos é Lucas 6.31-35, que começa com as palavras: "Como quereis que os homens vos façam, assim fazei-o vós também a eles." Evidentemente Jesus supunha que Seus ouvintes quisessem ser tratados com justiça, amabilidade e misericórdia. Em outras palavras, queriam ser tratados com amor e não com indiferença ou animosidade. Para esclarecer esta forma de amor em contraste com a dos pecadores, Jesus prosseguiu: "Se amais os que vos amam, qual é a vossa recompensa? Porque até os pecadores amam aos que os amam... Amai, porém, os vossos inimigos..."
O amor que Jesus enfatiza é o demonstrado por atos, do tipo altruísta e não o que espera recompensas. Dada a naturalidade com que as pessoas satisfazem suas próprias necessidades e desejos, Jesus desviou-lhes o foco da atenção para além delas mesmas.
Essa espécie de amor pelos outros procede primeiro do amor de Deus, e somente depois de respondermos sinceramente ao amor dEle (de todo o nosso coração, de toda a nossa alma, de todo o nosso entendimento). Não conseguiremos praticá-lo a não ser que O conheçamos através de Seu Filho. As Escrituras dizem: "Nós amamos porque ele nos amou primeiro" (1 Jo 4.19). Não podemos realmente amar (o amor-ação, agapao) a Deus sem primeiro conhecermos o Seu amor através da graça; e não podemos verdadeiramente amar o próximo como a nós mesmos, sem primeiramente amarmos a Deus. A posição bíblica correta para o cristão não é a de encorajar, justificar ou mesmo estabelecer o amor-próprio, e sim a de dedicar sua vida por amor a Deus e ao próximo como [ ama] a si mesmo. (Martin e Deidre Bobgan - adaptado de um artigo de PsychoHeresy Update - chamada.com.br).

Carta aos Jovens


Dr. Lothar Gassmann

Meus amigos, acordem! Vocês estão sendo enganados

Foi dito a vocês: “Satisfaçam seus instintos e vocês serão felizes!”
A Palavra de Deus diz: “Bem-aventurados os limpos de coração, porque verão a Deus” (Mateus 5.8). “Deus julgará os impuros e adúlteros” (Hebreus 13.4).
Foi dito a vocês: “Ouçam música em alto volume e vocês se sentirão bem!”
A Palavra de Deus diz: “Em vos converterdes e em sossegardes, está a vossa salvação; na tranqüilidade e na confiança, a vossa força...” (Isaías 30.15). “Seja a paz de Cristo o árbitro em vosso coração...” (Colossenses 3.15). “instruí-vos e aconselhai-vos mutuamente em toda a sabedoria, louvando a Deus, com salmos, e hinos, e cânticos espirituais, com gratidão, em vosso coração” (Colossenses 3.16).
Foi dito a vocês: “Desliguem seu raciocínio, relaxem e não sejam críticos! Pensem positivamente e expandam sua consciência através da meditação, das drogas e de técnicas psíquicas”.
A Palavra de Deus diz: “sede, portanto, criteriosos e sóbrios a bem das vossas orações” (1 Pedro 4.7). “Sede sóbrios e vigilantes. O diabo, vosso adversário, anda em derredor, como leão que ruge procurando alguém para devorar; resisti-lhe firmes na fé...” (1 Pedro 5.8-9).
Foi dito a vocês: “Pratiquem o ocultismo – magia, bruxaria – e vocês obterão conhecimentos sobrenaturais e poderes especiais”.
A Palavra de Deus diz: “Não se achará entre ti quem faça passar pelo fogo o seu filho ou a sua filha, nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro; nem encantador, nem necromante, nem mágico, nem quem consulte os mortos; pois todo aquele que faz tal coisa é abominação ao Senhor” (Deuteronômio 18.10-12). “Fora (da cidade celestial) ficam os cães, os feiticeiros, os impuros, os assassinos, os idólatras e todo aquele que ama e pratica a mentira” (Apocalipse 22.15). Seu lugar “será no lago que arde com fogo e enxofre” (Apocalipse 21.8).
Foi dito a vocês: “Procurem quem faz grandes sinais e prodígios, quem tem grandiosas visões e revelações, para que vocês tenham experiências especiais”.
A Palavra de Deus diz: “Amados, não deis crédito a qualquer espírito; antes, provai os espíritos se procedem de Deus, porque muitos falsos profetas têm saído pelo mundo fora” (1 João 4.1). “...porque surgirão falsos cristos e falsos profetas operando grandes sinais e prodígios para enganar, se possível, os próprios eleitos” (Mateus 24.24).
Foi dito a vocês: “Unam-se, pois todas as religiões adoram o mesmo Deus”.
A Palavra de Deus diz: “Eu sou o Senhor, teu Deus... Não terás outros deuses diante de mim” (Êxodo 20.2-3, o Primeiro Mandamento). “Não aprendais o caminho dos gentios... Porque os costumes dos povos são vaidade” (Jeremias 10.2-3). “Os ídolos são como um espantalho em pepinal...” (Jeremias 10.5).
Jesus Cristo, o Filho de Deus, diz: “Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim” (João 14.6).
Foi dito a vocês: “Todo ser humano é filho de Deus, pois em cada um habita o espírito divino”.
A Palavra de Deus diz: “Mas, a todos quantos o receberam (a Jesus Cristo), deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que crêem no seu nome; os quais... nasceram... de Deus” (João 1.12-13). “e, tendo (Cristo) sido aperfeiçoado, tornou-se o Autor da salvação eterna para todos os que lhe obedecem” (Hebreus 5.9).
Foi dito a vocês: “Não falem de pecado, apenas de falhas, deslizes, lapsos! O bem e o mal têm a mesma origem”.
A Palavra de Deus diz: “o pecado é o opróbrio dos povos” (Provérbios 14.34). “Ai dos que ao mal chamam bem e ao bem, mal; que fazem da escuridade luz e da luz, escuridade; põem o amargo por doce e o doce, por amargo!” (Isaías 5.20).
Foi dito a vocês: “Ouçam o seu interior. Se meditarem bastante, encontrarão a verdade dentro de si mesmos”.
A Palavra de Deus diz: “do coração procedem maus desígnios, homicídios, adultérios, prostituição, furtos, falsos testemunhos, blasfêmias. São estas as coisas que contaminam o homem” (Mateus 15.19-20). “Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem nenhum...” (Romanos 7.18).
Foi dito a vocês: “Aceitem as crenças e o modo de ser de todos. Sejam tolerantes com as diferentes culturas e estilos de vida”.
A Palavra de Deus diz: “Exortamo-vos... a que admoesteis os insubmissos” (1 Ts 5.14). “Ou não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis: nem impuros, nem idólatras, nem adúlteros, nem efeminados, nem sodomitas, nem ladrões, nem avarentos, nem bêbados, nem maldizentes, nem roubadores herdarão o reino de Deus. Tais fostes alguns de vós; mas vós vos lavastes, mas fostes santificados, mas fostes justificados em o nome do Senhor Jesus Cristo e no Espírito do nosso Deus” (1 Coríntios 6.9-11).

Por isso:

• Resistam aos maus exemplos em revistas, no rádio, na TV e na internet, que falam de “amor” mas praticam imoralidades e querem arrastá-los para a destruição.
• Mantenham-se firmes tendo por modelo ao Filho de Deus, Jesus Cristo, que é puro e santo. Ele mostrou, através da Sua vida e do Seu ensino, como age o verdadeiro amor!
• Resistam à mistura religiosa antibíblica e ao ecumenismo.
• Mantenham-se firmes nas quatro exclusividades das Sagradas Escrituras: somente a Bíblia, somente Cristo, somente pela graça, somente pela fé.
• Resistam à busca antibíblica por sinais e milagres.
• Mantenham-se firmes no maior milagre: as chagas de Jesus Cristo, que entregou na cruz Sua vida pela nossa redenção e ressuscitou milagrosamente dentre os mortos ao terceiro dia.
• Resistam ao domínio de uma cultura de “entretenimento” – que, infelizmente, se espalha cada vez mais no meio cristão. Essa tendência transforma até a cruz de Cristo em objeto de distração e blasfema contra a santidade de Deus.
• Mantenham-se firmes no Deus triuno, que é ao mesmo tempo santo e justo, amoroso e misericordioso.
• Resistam à confusão mística e às afirmações de que em todos habita uma “centelha divina”.
• Mantenham-se firmes na consciência da completa corrupção e perdição do coração humano, que depende da redenção exclusivamente pela graça.
• Resistam à “cultura musical” que imagina poder atrair pessoas à fé cristã através de elementos pagãos (por exemplo, ritmos alucinantes e que levam ao êxtase, repetições de palavras como mantras ou melodias extremamente lentas que estimulam o transe).
• Mantenham-se firmes ouvindo hinos espirituais agradáveis, procedentes de corações tranqüilos e brandos.
• Resistam às tendências desta época, atrás das quais se esconde o espírito do inimigo.
• Mantenham-se firmes no Espírito de Deus que os separará deste mundo passageiro e os guiará a toda verdade.
“Perto está o Senhor de todos os que o invocam, de todos os que o invocam em verdade” (Salmo 145.18). (Dr. Lothar Gassmann - http://www.chamada.com.br)

domingo, 25 de janeiro de 2015

O QUE OCORREU HOJE

Este é o resumo do dia 25/01/15. O presidente dos EUA, Barack Obama, afirmou que sua administração está "profundamente preocupada" com os últimos acontecimentos no leste da Ucrânia.
Ele afirma que continuará tentando isolar a Rússia e examinará alternativas para o conflito. As sanções econômicas contra a Rússia impostas pelos EUA e pela Europa não foram suficientes para eliminar o apoio da Rússia a rebeldes ucranianos. Continuaremos atentos aos desdobramentos dessa questão.
Na tensão entre os mundos árabe e ocidental, milhares de paquistaneses saíram às ruas neste domingo (25) contra a publicação de caricaturas de Maomé pelo jornal francês Charlie Hebdo. Os protestos ocorrem dois dias após manifestações idênticas no Sul da Ásia.
Na Grécia, país europeu que vive uma grande crise financeira, onde a taxa de desemprego está em 26%, a vitória da extrema esquerda amplia as incertezas sobre o futuro do país.
Nos EUA, dois aviões de passageiros foram desviados e precisaram aterrissar em Atlanta, nos Estados Unidos, neste sábado (24), após ameaças de bomba consideradas "verossímeis" pelas autoridades norte-americanas. As aeronaves pousaram no Aeroporto Internacional Hartsfield-Jackson em segurança. Foram realizadas buscas dentro das aeronaves e nada foi encontrado.
Em mais uma amostra dos tempos que estamos vivendo e da proximidade do juízo do Altíssimo sobre a Terra, uma garota de 18 anos vai casar com o seu pai biológico, após dois anos de namoro. Isso está ocorrendo na região dos Grandes Lagos, no norte dos EUA.
No gemido da natureza, sem chuvas suficientes, o Sistema Cantareira completou neste domingo (25) duas semanas consecutivas de queda e o volume de suas represas baixou para 5,1% de sua capacidade, segundo boletim da Sabesp. O nível era de 5,2% neste sábado (24). O principal reservatório da Grande São Paulo, responsável por atender 6,2 milhões de pessoas, recebeu em janeiro apenas 35,4% da precipitação prevista para o mês.
Os sinais continuam ocorrendo em todos os segmentos e lugares. Muitos consideram esses fatos algo cíclico e corriqueiro... Outros, preferem nem sequer saber deles e continuam como se nada estivesse ocorrendo... A maioria prefere viver na contramão das Verdades das Escrituras.
No entanto, cremos que as profecias contidas nas Escrituras estão se concretizando de forma gradual e paulatina. É tempo de arrependimento, santificação e fé nas promessas do Altíssimo para aqueles que crêem e de intercessão por aqueles que não crêem

ESTAMOS PREPARADOS ?

Muitas profecias, revelações e visões têm sido divulgadas nestes últimos tempos sobre coisas horrendas que virão sobre o mundo, fruto do juízo do Criador sobre a maldade humana e também sobre a apostasia da Igreja. O que fazer diante de tais avisos?
Tomando como base as Escrituras, o primeiro a fazer é não desprezar as profecias. Isso quer dizer, não deixá-las de lado, como se fossem coisas sem importância ou indignas de serem consideradas:
"Não desprezeis as profecias. Examinai tudo. Retende o bem" [1 Tessalonicenses 5:20-21]
É interessante notar que, quando Paulo ensina isso aos tessalonicenses, logo após compartilha o ensinamento para examinar tudo e reter o bem. Então, não devemos desprezar a priori nenhuma profecia.
Desprezar uma profecia ou revelação apenas porque traz uma mensagem inquietante, ilógica ou porque vai contra aquilo que anelamos ou pensamos, é uma atitude completamente anti-bíblica.
Devemos examinar as profecias. Considerar o que foi dito e pedir ao Altíssimo direção pessoal e discernimento espiritual diante do que foi divulgado ou profetizado. Como ensina o apóstolo João, devemos provar se os espíritos são do Altíssimo ou não [I João 4:1].
No entanto, neste pequeno artigo, não nos baseamos nem sequer nas várias profecias que têm sido anunciadas em nossos dias sobre coisas drásticas e horrendas que ocorrerão no mundo.
Vamos nos basear apenas nas Escrituras e com esse fundamento chegaremos à conclusão que, quem realmente diz dar crédito ao que está revelado nas Escrituras, deveria estar preparado e plenamente ciente do que ocorrerá em nosso planeta.
Diante da grande quantidade de profecias bíblicas para o fim, destacamos uma que nosso Salvador proferiu pouco antes de ser crucificado:
"E haverá sinais no sol e na lua e nas estrelas; e na terra angústia das nações, em perplexidade pelo bramido do mar e das ondas. Homens desmaiando de terror, na expectação das coisas que sobrevirão ao mundo; porquanto as virtudes do céu serão abaladas. E então verão vir o Filho do homem numa nuvem, com poder e grande glória.
Ora, quando estas coisas começarem a acontecer, olhai para cima e levantai as vossas cabeças, porque a vossa redenção está próxima" [Lucas 21:25-28]
Essas são profecias do próprio Mestre. Dizer que coisas devastadoras e catastróficas ocorrerão no mundo não é um exagero nosso. É o que está profetizado pelo nosso Senhor. A questão é: esses eventos se aplicam a nós?
Cremos que sim. Historicamente, estamos num período de grande apostasia e de iniquidade institucionalizada. Se o próprio Salvador comparou os dias que precederiam o Seu retorno aos dias de Noé e aos dias de Ló [Lucas 17:26-30], estamos vivendo esses dias.
Acreditamos que, até mesmo, são dias piores que os de Ló e Noé, pois aquelas gerações passadas não tinham conhecimento pleno do Evangelho da Graça e do Reino.
Espiritualmente, as profecias de Lucas 21:25-28 se aplicam a nós também, porque, se estivermos vivos quando essas coisas e outras ocorreram, estaremos inseridos nelas. Cremos que nosso encontro com o Messias nos ares se dará diante de Sua gloriosa volta, após todos esses acontecimentos citados.
Em nosso site há uma vasta argumentação nesse sentido. Então, se nosso encontro com o Salvador se dará após a concretização dos eventos já profetizados, estaremos inseridos neles.
Se formos coerentes com isso, devemos preparar-nos para o que está profetizado. Exemplificando, se há um aviso que nossa residência pode desabar em pouco tempo e se damos crédito a isso, não é lógico nem coerente viver como se isso não fora ocorrer...
Se cremos nas profecias bíblicas, devemos ser coerentes com essa crença que dizemos ter. Se o Espírito do Criador nos dirige também a crer numa profecia atual, proferida por "a" ou "b" devemos agir de acordo com essa crença.
Devemos estar, acima de tudo, preparados. Não amanhã, próximo ano ou na próxima década, mas hoje, agora. Destacamos 4 tipos de preparação:

SANTIFICAÇÃO

Essa, cremos, é a principal preparação e o fundamento de todas as outras preparações. Sem a santificação, ninguém verá o Pai [Hebreus 12:14]. A nossa contínua e diária santificação tem a ver com o nosso destino eterno.
Ainda que nosso corpo venha a falecer, diante da própria ação do tempo ou diante do cumprimento das coisas que se aproximam sobre a Terra, se estamos em Cristo, santificados e em santificação, estaremos eternamente salvos.
Se não houver uma preparação baseada na santidade, no afastamento dos princípios e práticas deste mundo, de nada valerá preparar-se em outros aspectos.

DESAPEGO ÀS COISAS MATERIAIS

O desapego às coisas materiais é parte importante no processo de preparação para o que está por vir. Talvez o maior exemplo do que pretendemos abordar neste ponto seja o da mulher de Ló.
Ela, apesar de ser escolhida, juntamente com a sua familia, para ser salva da destruição de Sodoma e Gomorra, e de ser literalmente levada por anjos do Eterno para fora da cidade, ainda assim guardava em seu coração um apego a coisas materiais relacionadas com a cidade e tudo o que a sociedade pode oferecer.
Vivemos num mundo consumista, em que a mídia condiciona o comportamento de grande parte das pessoas. Ao mesmo tempo, vivemos num tempo em que até mesmo algumas instituições ou igrejas que se denominam cristãs incentivam a posse e o anelo por bens materiais, numa interpretação incorrreta do que é a verdadeira prosperidade que vem do Altíssimo.
Então, ter desapego às coisas materias é um ponto central na preparação para os tempos que se aproximam e para os eventos catastróficos que ocorrerão. Quem tiver seu coração nas coisas materiais e nas propostas que a sociedade pode oferecer, sofrerá o risco de ter um fim semelhante ao da mulher de Ló.

EQUILÍBRIO ESPIRITUAL E EMOCIONAL

Ter equilíbrio espiritual e emocional diante das coisas que ocorrerão é algo que se faz necessário não apenas para nós mesmos, mas também para aqueles que nos rodeiam. É bem certo que cada pessoa tem um nível de equilíbrio. Umas são mais racionais e serenas. Outras, mas afoitas e instáveis.
Devemos buscar do Altíssimo um nível cada vez maior de equilíbrio para enfrentar os difíceis dias que se aproximam. Um equilíbrio que não apenas nos fará viver com serenidade e confiança os duros momentos que virão, mas que nos permitirá ajudar aqueles que estiverem mais desnorteados ou necessitados.

PREPARAÇÃO MATERIAL

Essa, talvez, seja a mais incomprendida e polêmica forma de preparação. Porém, cremos que ela é importantíssima, pois temos um corpo e necessidades materiais e biológicas. O Criador nos fez assim e devemos estar plenamente cientes disso.
Muitos criticam a postura de estar materialmente preparados para os tempos que virão, como que se isso significara "falta de fé". Como se precaver-nso materialmente diante de claros avisos e profecias, fosse uma prova de que nossa confiança não está no Eterno Pai...
Ao contrário! Estar preparado em todas as áreas [inclusive a material] para o que virá é precisamente dar crédito ao que está profetizado! Tem coisas que o Altíssimo faz por nós. Porém, há coisas que nós mesmos, segundo a capacidade que Ele nos dá, temos que fazer.
Estar materialmente preparado nos parece muito importante. Ter uma reserva de alimentos [de preferência armazenados para um período maior], uma reserva de água, uma mochila com materiais de uso pessoal, medicamentos e roupas, ou ter, eventualmente, um lugar afastado do litoral e com uma estrutura básica para ir e estar durante um tempo como o descrito em Lucas 21:25, nos parece aconselhável e uma prova de que está sendo levado a sério aquilo que está revelado.
Tomar essas medidas simples poderá fazer toda a diferença. É óbvio que nossa missão e nossa vida com Cristo é eterna. Porém, se podemos preservar a vida que Ele nos concedeu neste tempo, devemos fazê-lo.
Assim como José foi coerente com o sonho que ele interpretou, e agiu de acordo com isso, sem ficar de braços cruzados esperando que os alimentos caíssem dos céus, nós devemos atuar de acordo com aquilo que já nos foi mostrado e de acordo com aquilo que cremos.
Isso não significa abandonar nossos trabalhos, projetos pessoais, estudos, relacionamentos, atividades sociais, etc. Significa viver o nosso dia a dia, cientes que o que vivemos aqui é apenas uma sombra da glória que nos está revelada... Significa ver tudo o que existe em nossa volta, mas acreditar que aquilo profetizado por Jesus vai se cumprir...
Não sabemos quando ocorrerão esses eventos mundialmente catastróficos. Porém, a questão é: se ocorrerem a partir de amanhã, você está preparado[a] em todos os níveis?

Postagem em destaque

Cientistas tentam explicar relato do Livro de Josué sobre o Sol parando

Pesquisadores da Universidade de Cambridge, na Inglaterra, publicaram os resultados de uma pesquisa inédita na revista científica Astronom...