domingo, 3 de setembro de 2017

Em 1/3 dos países do mundo é proibido evangelizar

As leis que proíbem a blasfêmia são “alarmantemente difundidas” em todo o mundo, com muitos países estabelecendo punições desproporcionais, que vão desde prisão até a pena de morte.
Um relatório sobre leis antiblasfêmia e anticonversão foi apresentado esse mês pela Comissão de Liberdade Religiosa Internacional, sancionado pelo governo dos EUA. Irã, Paquistão, Iêmen, Somália e Catar ocupam os primeiros postos em uma lista de 71 países que criminalizam pontos de vista considerados blasfemos. Isso representa pouco mais de um terço dos 206 nações do globo.
Na prática, isso significa que uma pessoa não pode mudar de religião e aqueles que ousarem dizer que os ideais religiosos da maioria da população são errados estão sujeitos a serem taxados como criminosos.
“Nós encontramos padrões. Todas essas leis, de alguma forma, se desviam dos princípios da liberdade de expressão. Todas têm uma formulação vaga, que geram diferentes interpretações”, explicou à agência Reuters a autora do relatório, a suíça Joelle Fiss.
O ranking foi estabelecido em como a proibição de uma blasfêmia ou criminalização de um estado viola os princípios do direito internacional. A Irlanda e a Espanha, que possuem leis antiblasfêmia consideradas leves e que raramente são invocadas, preveem apenas uma multa.
Contudo, 86% dos países com leis de blasfêmia preveem prisão para os acusados. A grande maioria são nações islâmicas, que invocam a lei religiosa sharia acima das leis nacionais.
A proporcionalidade da punição foi um critério fundamental para os pesquisadores. “É por isso que o Irã e o Paquistão são os dois países mais perigosos pois eles explicitamente colocam a pena de morte em suas leis”, disse Fiss, referindo-se a legislação que impõem a morte a quem ‘insultar’ o profeta Maomé.
A questão maior é que, se um cristão afirmar que Jesus é Deus ou que é maior que Maomé, já pode ser acusado de blasfêmia. Dentro da prática islâmica, o fato de uma pessoa que nasceu em uma família muçulmana converter-se a outra religião é o suficiente para que ela seja considerada um blasfemador.
Em suma, leis de blasfêmia se equivalem as de anticonversão e podem ser usadas pelas autoridades para reprimir minorias, segundo o relatório. Isso pode servir de pretexto para que os extremistas religiosos fomentem o ódio contra quem pensa diferente deles.
Um caso recente de acusação de blasfêmia envolveu o ex-governador de Jacarta, na Indonésia. Cristão, Basuki Tjahaja Purnama, conhecido como “Ahok”, foi condenado a dois anos de prisão após dizer que não concordava com versículo do Alcorão segundo o qual um muçulmano só deve eleger um dirigente muçulmano.
Ainda segundo o relatório da Comissão de Liberdade Religiosa Internacional, em alguns países como a Arábia Saudita, os tribunais da sharia é quem decidem os acusados de blasfêmia e por isso não existe a necessidade de uma lei específica.
Segundo Fiss, o julgamento é “muito vago”, por vezes bastando a palavra de um acusador, sem necessidade alguma de se apresentar provas. Segundo a sharia, o testemunho de um ‘infiel não islâmico’, não possui valor.

Rede Globo transforma personagem trans em herói

E continuamos indolentes. Até quando?
No ano 2000, a atriz Carolina Dieckmann protagonizou uma cena famosa durante a novela “Laços de Família”, quando raspou a cabeça para mostrar um pouco do sofrimento de quem sofre com câncer. Rapidamente houve uma mobilização social sobre o tema, mostrando que os telespectadores se envolveram com a dor e o sofrimento de quem passava por aquela situação.
Passados 16 anos, a Rede Globo tenta equivaler a catarse coletiva durante esta semana na novela “A Força do Querer”. A personagem Ivana, vivida pela até então desconhecida atriz Carol Duarte, revelou à sua família que se descobriu “trans”, ou seja, apesar de ter nascido mulher sente-se um homem por dentro.
Mesmo assim, ela é apaixonada por Claudio (Gabriel Stauffer) e em breve ficará gravida do rapaz, o que faria de Ivana um “homem trans gay”. Parece confuso? Pois realmente é. Ainda mais que, na vida real, Carol é lésbica assumida  o que apenas reforça a miltância.
Esse experimento social é promovido pela autora Glória Perez, que já criticou os evangélicos, a quem chamou de “imbecis” quando criticaram suas novelas.
Ao contrário do que aconteceu com a novela “Salve Jorge” (2012) e a minissérie “O Canto da Sereia” (2013), até o momento nenhum líder evangélico criou movimentos de protesto ou pedidos para que se faça algum tipo de boicote à Rede Globo.
Talvez por que os evangélicos estejam assistindo menos novelas ou por que a passividade comum aos brasileiros tenha se instalado de vez dentro das igrejas.
As manchetes de alguns dos principais sites de notícia após a exibição da cena comprovam que há um movimento orquestrado da grande mídia para tentar normatizar o comportamento dos trans, usando para isso a carga dramática da cena.
Em vários textos publicados por jornais e colunas especializadas em TV exalta-se Ivana revelando que deseja ser Ivan, tentando apelar para os sentimentos do público acima da razão.
Veja abaixo alguns deles:

Católicos e evangélicos estão mais “próximos” que imaginam, diz pesquisa

À medida que os evangélicos se preparam para marcar o 500º aniversário da Reforma Protestante, duas novas pesquisas realizadas pelo Instituto Pew mostram que, tanto na Europa quanto nos Estados Unidos, as diferenças teológicas que dividiram o cristianismo nos anos 1500 parecem ter perdido grande parte da sua importância.
Tanto para evangélicos europeus quanto para norte-americanos, eles e os católicos hoje possuem mais semelhanças que diferenças. Os ideais da Reforma liderada por Lutero e que deu origem ao movimento que mudaria a história do mundo, resultando em mais de um século de guerras devastadoras e perseguições na Europa, aparentemente ficaram no passado.
Em 2017, evangélicos e católicos na América do Norte e na Europa parecem ter chegado a um ponto onde não identificam mais claramente suas diferenças no aspecto teológico. Alguns dos principais pontos que guiavam os reformadores no século 16 são amplamente ignorados pelos cristãos atuais nesses locais.
Foram entrevistados pela Pew Research Center 24.599 pessoas em 15 países europeus. Nos Estados Unidos, a pesquisa foi realizada com 5.198 fiéis. Os resultados surpreendem.
Por exemplo, o ensinamento de que a salvação da alma é alcançada unicamente através da fé em Jesus (doutrina conhecida pelo termo latino sola fide) na maior parte dos países da Europa Ocidental não é mais amplamente defendida.
A maioria dos evangélicos europeus (47% na média geral) defende que a salvação depende tanto da fé quanto das obras, aproximando-se mais do entendimento católico. O percentual dos que “não sabem” é de 18%. O quadro é bem maior no Reino Unido (62%) e na Alemanha (61%). Enquanto isso, metade dos evangélicos dos Estados Unidos (52%) dizem o mesmo.
Os evangélicos norte-americanos também estão divididos sobre outra questão que desempenhou um papel fundamental na Reforma: 46% dizem que a Bíblia é a única orientação religiosa que os cristãos precisam, o ensino conhecido como sola scriptura. Mas 52% defendem que também devem buscar orientação nos ensinamentos e na tradição da igreja, ideia sempre ensinada pela Igreja Católica.
Somente 30% de todos os evangélicos dos EUA concordam tanto com a sola fide quanto com a sola scriptura. De modo geral, são altos os percentuais de evangélicos que dizem que suas crenças são “parecidas” com a dos católicos.
Um dos motivos para essa confusão doutrinária é a quantidade cada vez menor de evangélicos e católicos da Europa que frequentam igrejas: em média apenas 8% e 14%, respectivamente.
Questionados sobre se oram diariamente, disseram ‘sim’ 14% dos evangélicos e 12% dos católicos. Quando perguntados se a religião é importante em suas vidas, responderam positivamente (em média) apenas 12% dos evangélicos e 13% dos católicos.

Terroristas pretendiam lançar bomba “mãe de Satã” contra igreja na Espanha

atentado terrorista realizado em Barcelona semana passada, deixou 15 mortos e mais de 100 feridos, mas esse número poderia ter sido muito maior. Segundo apontam as investigações das autoridades espanholas, a célula islâmica pretendia explodir a igreja mais famosa da cidade. O grupo foi desmontado numa operação em que 5 terroristas foram mortos e outros 4, presos.
As fontes governamentais dão conta que o mentor da ação era o imã marroquino Abdelbaki Es-Satty. Ele comandava a célula ‘jihadista’ responsável pelos atentados na Catalunha. Um acidente ocorrido na casa em Alcanar, onde o grupo se reunia, a 200 km de Barcelona, vitimou o imã.
O major Josep Lluis Trapero explicou à imprensa que no local estavam sendo preparadas bombas que seriam lançadas contra a Catedral Sagrada Família, um dos cartões postais da cidade.
“Os restos do imã estavam lá”, declarou o major. O líder religioso e outra pessoas, ainda não identificadas, foram vitimados pela explosão da casa que servia de base de operações da célula. Eles preparavam há cerca de seis meses diversos atentados. No local, a polícia encontrou 120 botijões de gás.
Foram encontrados também vestígios do TATP, o triperóxido de triacetona. Esse explosivo é muito potente, mas extremamente instável. Ele pode ser feito de modo artesanal, sendo obtido na mistura, em proporções precisas, de acetona, água oxigenada e um ácido (sulfúrico, clorídrico ou nítrico), produtos facilmente encontrados no comércio.
Apelidado pelos extremistas de “mãe de Satã”, vem mostrando ser o explosivo preferido do Estado Islâmico, uma vez que foi usado em diversos atentados recentes em solo europeu.
Por causa da explosão acidental na quarta-feira (16), os terroristas a optaram pelo atropelamento em massa na Rambla, a mais movimentada avenida de Barcelona, na quinta-feira.
Essa foi a confissão de Mohamed Houli Chemlal, um dos suspeitos de planejar o duplo ataque terrorista, diante de um juiz espanhol. Ele revelou que sua célula preparava um atentado de maior impacto. O principal alvo era a catedral da Sagrada Família, basílica que é Patrimônio Mundial da Unesco e o principal trabalho do arquiteto Antoni Gaudi.
Além de Chemlal, que ficou ferido na explosão que vitimou o imã enquanto preparavam as bombas usando “a mãe de Satã”, estão presos Driss Oukabir e Salah El Karib. Eles serão levados a julgamento pelos ataques. Mohammed Aallaa, que chegou a ser detido, acabou liberado por falta de provas em seu envolvimento no atentado. Com informações Uol

sábado, 2 de setembro de 2017

Estado Islâmico ameaça papa Francisco: “Chegaremos a Roma”

O Estado Islâmico (EI) divulgou outro vídeo nesta quinta-feira (24). Nele, faz ameaças ao papa Francisco e afirma que “chegará a Roma”. Embora o Vaticano seja oficialmente um país, ele fica no centro da capital italiana. Sendo assim, a mensagem é clara: eles pretendem cumprir a promessa que fizeram em 2014.
A gravação do vídeo foi feita em Marawi, cidade das Filipinas que abriga extremistas muçulmanos, onde há um intenso combate armado com as forças de segurança do país. O material, divulgado pelo Al Hayat Media Center, um dos órgãos oficiais de propaganda do Estado Islâmico, apresenta terroristas rasgando um pôster de Francisco e destruindo imagens cristãs em uma igreja.
“Lembrem-se disso, infiéis, nós vamos estar em Roma, se Allah quiser”, brada um soldado que se identifica como Abu Jindal. Em seguida, o grupo põe fogo em um a igreja. “Depois de todos os esforços, a religião dos cruzados é que será destruída”, diz o narrador.

Parte da escatologia islâmica

Juntamente com esse vídeo, o EI pediu que seus simpatizantes realizem atentados na Itália. Além do país pertencer à coalizão internacional que luta contra eles na Síria, abrigar a sede mundial da Igreja Católica.
Um ataque ali enviaria uma forte mensagem por todo o globo. Além disso, a reconquista da Itália, que já integrou impérios islâmicos no passado é um dos objetivos anunciados do califado. Para os extremistas muçulmanos, Francisco seria o expoente máximo do cristianismo, já que eles não fazem distinção entre católicos, ortodoxos e evangélicos.
Na escatologia islâmica, existe a ideia que a conquista de Roma seria “o sinal completo da superioridade do Islã sobre o cristianismo, marcando a derrota do cristianismo”. Para isso, o papa deverá ser decapitado em praça pública, com a execução transmitida para o mundo todo.
Para eles, tudo culminará em uma batalha contra os exércitos infiéis próximos a Dabiq, na Síria, cidade que eles já conquistaram. “Essa é a sua versão do Armagedom”, ressalta Robert Spencer, um especialista no assunto. “Então Jesus se unirá ao profeta muçulmano, o Mahdi, e juntos irão conquistar e islamizar o mundo”, conclui.
Esta ideia já foi divulgada pelo EI em outros vídeos, quando apresentou imagens feitas por computador de tanques avançando sobre o Coliseu, enquanto o narrador afirmava que Roma representava a “batalha final antes do dia do juízo”.

Tropa de elite do Vaticano espera atentados

A Itália é a única grande nação da Europa Ocidental que ainda não sofreu atentados terroristas do EI. Mas as autoridades dizem estar preparada para isso. O comandante Christoph Graf, chefe da Guarda Suíça, soldados de elite que protegem o Vaticano, disse nesta quinta-feira (24) que o corpo militar “está pronto” para enfrentar um ataque terrorista e proteger o papa Francisco.
Durante um evento que reuniu cerca de 450 ex-guardas em Solothurn, na Suiça, Graf foi enfático: “Talvez seja apenas uma questão de tempo até que um atentado ocorra em Roma. Mas, estamos prontos também para isso”. Ele disse que a preocupação aumentou após o recente ataque ocorrido em Barcelona.
O comandando lembrou que os agentes que protegem o Papa são uma “tropa de proteção treinada nas técnicas mais modernas” e que adapta constantemente a sua formação. Por isso, os novos soldados estão recebendo treinamento antiterrorismo.

Trump decreta dia nacional de oração: “Deus é nosso refúgio e fortaleza”



A cena parece ter saído dos relatos do Antigo Testamento. Exortado por líderes religiosos, o líder de uma nação inteira decreta “um dia nacional de oração”.
Após o furacão Harvey passar nos últimos dias pelo sul dos Estados Unidos, causando bilhões de prejuízo em um rastro de destruição e mortes, o presidente Donald Trump tomou a decisão de convocar o país a dedicar o domingo (3/9) para pedirem a benção de Deus sobre o país. Ao lado do vice, Mike Pence, ele assinou um documento oficial.
O anúncio foi feito após ele receber a visita de pastores e líderes evangélicos em seu gabinete. O pedido de Trump se alia ao do governador do Texas, Greg Abbott, que também convocou os texanos a orar pela recuperação do seu estado.
“Estamos profundamente gratos por aqueles que se dedicam ao serviço, e oramos por cura e conforto para os necessitados”, afirma a proclamação do presidente, divulgada pela assessoria de imprensa da Casa Branca.
“À medida que os esforços de resposta e recuperação continuam e, à medida que os americanos oferecem o alívio necessário para as pessoas do Texas e da Louisiana, lembremos da promessa das Escrituras de que “Deus é nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente nas tribulações”, continua a nota, citando o Salmo 46.
“Exorto todos os americanos e casas de culto em toda a Nação a se juntarem em uma única voz de oração, enquanto buscamos apoiar um outro e ajudar aqueles que sofrem com as consequências dessa tempestade terrível”, afirmou Trump. Ele anunciou também que doará 1 milhão de dólares de seu próprio bolso para as vítimas.
A oração feita sobre Donald Trump, com imposição de mãos, foi liderada pelo pastor Robert Jeffress, líder da Primeira Igreja Batista de Dallas, um influente líder cristão que esteva ao lado de Trump desde a campanha presidencial.
No vídeo divulgado, ele cita o texto de 2 Crônicas 7:14: “se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra”.
Nos últimos dias, o vice Mike Pence também teve encontros de oração com líderes, em especial com Franklin Graham, cujo ministério tem se envolvido diretamente no socorro às vítimas no Texas.
Desde o governo de Ronald Reagan não havia uma manifestação cristã tão clara na Casa Branca. Foi Reagan quem criou o Dia Nacional de Oração pelo país, em maio de 1982. Contudo, o decreto de Trump é algo inédito na história recente dos EUA, ocorrendo com um pedido específico pela intervenção divina em um momento de crise. Com informações CBN

Muçulmanos de todo o mundo marcham pedindo retomada de Jerusalém



Protestos anti-Israel foram realizados em capitais em todo o Oriente Médio e alguns países da Ásia nesta sexta-feira. Os protestos criticavam a decisão de se implementar medidas de segurança nas entradas do Monte do Templo, em Jerusalém.
Após o ataque de três terroristas palestinos que vitimou dois soldados israelenses na semana passada na entrada do local considerado sagrado por judeus, cristãos e muçulmanos, o governo de Israel determinou a colocação de detectores de metal e câmeras, além de limitar o acesso de islâmicos.
Milhares de muçulmanos se reuniram em Amã (Jordânia), Beirute (Líbano), Istambul (Turquia) e Kuala Lumpur (Malásia) para protestar na tarde desta sexta-feira, em “solidariedade” com os palestinos e pedindo a “retomada” de Jerusalém.
Na capital jordaniana, faixas diziam que “Al-Aqsa é uma linha vermelha” que foi cruzada por Israel, em referência ao nome da mesquita localizada no alto do Monte do Templo. “Com a nossa alma, com o nosso sangue, nos sacrificaremos por você, Al-Aqsa”, cantavam.
Enquanto manifestantes incendiaram e pisotearam bandeiras de Israel, gritavam palavras de ordem como “Iremos a Al-Aqsa, nossos milhões serão mártires”.
Em Istambul, os protestos contra Israel contaram com a presença do primeiro-ministro turco, Binali Yıldırım. Ele disse à multidão que a decisão israelense era “errada” e que uma solução precisava ser encontrada imediatamente.
Nesta quinta-feira, fiéis turcos tentaram invadir uma sinagoga em Istambul, afirmando que Israel era um “estado terrorista”, que procurava bloquear a liberdade de adoração aos muçulmanos. “Se você impedir a nossa liberdade de culto, então, evitaremos a sua liberdade de culto aqui”, afirmou o Alperen Hearths, grupo ultranacionalista islâmico.
Nos últimos dias tem crescido a tensão no local, com líderes islâmicos fechando as mesquitas de Jerusalém e exigindo que as orações de sexta-feira, dia sagrado dos muçulmanos, sejam feitas na entrada do Monte do Templo.  Por isso, durante todo o dia, milhares de homens protestaram em vários locais da Cidade Antiga e entraram em conflito com a polícia.
Os governos da Rússia e dos Estados Unidos já foram procurados para que intervenham na situação, mas ainda não se manifestaram publicamente
O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, afirmou, no início desta semana, que os detectores de metal seriam mantidos e que Israel que não abrirá mão da segurança, mas teme que a situação saia de controle. Com informações Times of Israel

domingo, 13 de agosto de 2017

Seita chinesa acredita que Jesus reencarnou em mulher

A Igreja do Deus Todo-Poderoso (IDTP) é uma religião que nasceu no início dos anos 90 na China, e crê que Jesus reencarnou em uma mulher chinesa “para salvar o mundo do apocalipse”.
Existe apenas uma pessoa que alega ter contato com a mulher que, de acordo com a igreja, seria Jesus reencarnado. Trata-se de Zhao Weishan, um homem nascido na província de Henan que fundou a religião há mais de 25 anos e vive atualmente nos Estados Unidos.
Além da inusitada reencarnação que a igreja defende, a instituição está envolvida em outras polêmicas.
O governo chinês não vê com bons olhos o culto religioso da IDTP e prendeu na quarta-feira (26) ao menos 18 pessoas. A polícia alega que a igreja não pode realizar encontros em todo território do gigante asiático.
As prisões ocorreram no condado de Changxing, na província oriental de Zhejiang, depois de uma investigação conduzida pelas forças de segurança, conforme a agência oficial de notícias Xinhua. A polícia apreendeu vários laptops e livros “usados pelo culto para disseminar informações”.
As ações do grupo religioso provocaram uma rejeição em massa entre a opinião pública quando, em 2014, um vídeo nas redes sociais mostrou cinco membros espancando uma mulher de 35 anos até a morte em um restaurante de fast-food, depois que ela se recusou a dar-lhes seu número de telefone.
Após o ocorrido, vários integrantes foram presos e dois condenados à morte, sendo executados pouco depois. No julgamento, os réus alegaram que a vítima “estava possuída por um espírito maligno”. “Era um demônio e tínhamos que acabar com ela”, disse uma das condenadas.
O governo de Pequim, mesmo antes do incidente em 2014, argumenta que a organização é ilegal porque “isola os membros de seus familiares e amigos e os pressiona para que doem dinheiro em troca da salvação”.

Igreja alega perseguição das autoridades

Representantes exilados da IDTP criticaram em várias ocasiões o Partido Comunista da China, acusando-o de perseguição por razões políticas. Em seu site, a igreja relata que as autoridades torturaram vários de seus integrantes.
Segundo a polícia chinesa, o financiamento da igreja depende principalmente de doações de seus membros. “Quanto maior o valor, mais direitos a pessoa consegue dentro do grupo e pode subir posições”, disseram as autoridades citadas pela agência Xinhua.
Centenas de pessoas foram presas em operações policiais em todo o país nos últimos anos por supostamente fazer parte do grupo.
A China garante, no papel, a liberdade religiosa de seus cidadãos, mas tem uma lista de cultos proibidos que não são controlados pelo Partido Comunista. Com informações de El País

“Califa” Erdogan conquistaria a Europa em apenas 3 dias, afirma jornal turco


manchete de um dos principais jornais turcos defensores do governo, o Yeni Söz, defende que Erdogan poderia conquistar a Europa em três dias se uma campanha militar fosse lançada.

Apoiando-se nas previsões de especialistas, segundo os quais a Turquia se tornaria uma superpotência militar, o jornal afirmou que a Turquia já era “o país mais poderoso do mundo”.
A avaliação de que os turcos poderiam retomar sua ofensiva militar nos moldes do antigo Império Otomano vem sendo apresentada há anos por George Friedman, fundador da Stratfor, uma das principais empresas de consultoria e inteligência global.
Ele fornece análises e previsões geopolíticas a organizações em todo o mundo e coloca o presidente da Turquia como um líder ambicioso, capaz de mobilizar não só os moradores do seu país, mas os milhões de imigrantes turcos espalhados pela Europa. Somente na Alemanha são cerca de 5 milhões deles.
Friedman disse que os turcos podem vencer os alemães numa tarde e os franceses, se eles tiverem coragem de aparecer, em uma hora. Mas Friedman está errado. De acordo com uma pesquisa realizada pelo Instituto Internacional de Pesquisa Gallup, a maioria dos europeus já estão com as bandeiras brancas prontas para acenar em caso de guerra.
Uma pesquisa recente perguntou a pessoas de 60 nações: Você lutaria por seu país?’. Os índices mostram que na Alemanha, apenas 18% dizem estar dispostos a defender sua pátria. Vinte e nove por cento dos franceses, 21 por cento do espanhóis e 20 por cento dos italianos disseram que lutariam, lembra o diário turco.
O editorial conclui sarcasticamente: “Então, de acordo com esses resultados, se partimos para uma conquista pela manhã, podemos fazer as orações da noite no Palácio de Bellevue! [Residência oficial do Presidente da Alemanha]”. “E entraríamos em Roma na manhã do segundo dia”, acrescentou o diário.
A ideia de uma invasão turca sobre a Europa não é tão absurda assim, se levar-se em conta as ameaças que Erdogan vem fazendo nos últimos meses, em especial contra seus vizinhos da Grécia, país que no passado já foi invadido pelos Otomanos.
Em março, o Ministro das Relações Exteriores da Turquia Mevlut Cavusoglu afirmou em entrevista que em breve “vão começar Guerras Santas na Europa”, embora não tenha dado detalhes sobre como isso irá ocorrer.

Líder islâmico mundial

Os discursos de Erdogan e suas decisões recentes deixam claro a sua intenção de restaurar o Império Otomano, onde um califa governava boa parte do Oriente Médio, incluindo Israel.
O uso da expressão “guerra santa” remete a ideia da jihad islâmica, que motiva há séculos as mortes em nome da sua religião.
No início do ano, Erdogan disse em discurso que a Europa começou uma “cruzada” contra o islã. Ele reclamou da decisão do Tribunal Europeu de permitir que empresas proíbam o uso do véu islâmico em horário laboral.
“Começaram uma cruzada, não há outra explicação. A Europa se acerca dos tempos de antes da Segunda Guerra Mundial”, disse o líder turco em um evento na cidade de Sakarya.
Mais uma vez a escolha de palavras remete a um período de muito sangue derramado em nome da religião islâmica. As cruzadas foram movimentos militares anti-islâmicos que duraram séculos e geraram milhares de mortos.
Islâmico praticante, Erdogan tenta se consolidar como o maior líder muçulmano do mundo. Seu discurso e de seus ministros mostra que a retórica religiosa da Idade Média parece ter voltado de vez.

“Deus deu autoridade a Trump para tirar Kim Jong-un do poder”, avisa pastor

“Deus deu ao presidente Donald Trump a autoridade para tirar Kim Jong-Un do poder”, afirmou o pastor Robert Jeffress, um dos principais conselheiros evangélicos do presidente.
A declaração do líder religioso, que pastoreia a Primeira Igreja Batista de Dallas, com mais de 10 mil membros, veio logo após o presidente americano afirmar que atingiria a Coréia do Norte “com fogo e fúria jamais vistos no mundo” caso os norte-coreanos continuem  ameaçando lançar bombas atômicas contra os Estados Unidos.
Jeffress é muito influente entre os cristãos conservadores e apoiou Trump ativamente desde o início da campanha presidencial no ano passado. Ele faz parte também de um grupo de líderes evangélicos que possuem acesso direto ao presidente. Segundo eles, Trump constantemente pede suas opiniões sobre política.
As tensões entre as duas potências nucleares aumentaram, e os opositores de Trump classificaram suas ameaças como “imprudentes”, acusando-o de querer começar uma guerra.
O problema se agravou quando, no mês passado, a Coréia do Norte testou com sucesso um míssil balístico intercontinental que poderia atingir a Califórnia. Esta semana, foi divulgado que o Pyongyang conseguiu produzir ogivas nucleares compactas, que podem ser transportadas pelos mísseis intercontinentais.
A declaração de Jeffress, divulgada pelo jornal Washington Post menciona versículos bíblicos e ressalta sua crença que “Deus entregou aos governantes todo o poder para usarem quaisquer meios necessários – incluindo a guerra – para impedir o mal”.
Para o líder batista, Trump merece elogios por não tolerar as ameaças da Coréia do Norte e ressaltou que a política externa complacente do ex-presidente Barack Obama é responsável por crises como a da Síria.
“Graças a Deus por um presidente que é sério quando se trata em proteger nosso país”, comemorou. Jeffress citou o texto bíblico de Romanos 13, dizendo que a espada é “serva de Deus, agente da justiça para punir quem pratica o mal” e que o Senhor “dá ao governo a autoridade para fazer o que for preciso, seja o assassinato, a pena de morte ou a punição do mal ao reprimir as ações de malfeitores como Kim Jong Un”.
Trump, que diz ser presbiteriano desde criança, tem apoio maciço dos evangélicos. Segundo as pesquisas, cerca de 81% dos evangélicos brancos votaram nele em novembro, índice maior que qualquer outro grupo religioso

“Em breve você vai implantar um chip”, avisa jornal americano

O implante de microchips do tamanho de um grão de arroz em animais domésticos já é uma prática comum em vários países. Capaz de emitir um sinal de GPS, o objetivo dos chamados biochips seria facilitar sua localização, caso se perdesse ou fosse roubado.
Nos últimos anos, começaram a ser feitos implantes semelhantes em humanos, mas com uma função diferente: guardar senhas e servir como cartão de crédito. Depois que uma empresa no estado de Wisconsin colocou biochips em seus funcionários, a mídia americana começou a debater qual seria o futuro dessa tecnologia.
Agora o jornal USA Today dedicou uma longa matéria para entender como será daqui pra frente e arrisca uma previsão: “Você receberá um chip. É só uma questão de tempo”.
“Isso acontecerá com todos”, explica Noelle Chesley, 49, professora de sociologia da Universidade de Wisconsin-Milwaukee. “Mas não este ano, e não em 2018. Talvez nem seja minha geração, mas certamente será na dos meus filhos”.
Ela explica que é preciso levar em conta a questão da idade. Os mais jovens estarão mais abertos a isso, enquanto os trabalhadores mais velhos se negarão a receber o chip.
Gene Munster, investidor e analista da Loup Ventures, é um defensor das novas tecnologias.
Ele entende que chips em seres humanos serão comuns em algumas décadas. “Em 10 anos, você verá algumas pessoas que gostam de tecnologia avançada adotando isso, mas não as grandes empresas”, aposta. Para ele, essa ideia ainda tem “muita conotação negativa”, mas no futuro já teremos nos “dessensibilizado pelo estigma social”.
Obviamente as pessoas mais religiosas já mostraram sua contrariedade, lembrando que existem profecias bíblicas sobre todo ser humano receber uma “marca” e quem não a tivesse não poderia comprar nem vender, o que remete à substituição dos cartões de crédito pelos chips, uma das tendências identificadas pelo jornal.
Por enquanto, o Three Square Market, ou o 32M, empresa líder do setor nos EUA não conseguiu mostrar nenhum benefício concreto para quem opta em usar o chip além da facilidade de login na internet e computadores da empresa. Munster acredita que eles tiveram muita competência em divulgar seu produto, uma vez que o assunto foi destaque na maioria da mídia de língua inglesa.
A 32M trabalha em sistemas de venda que fariam transações sem dinheiro ou cartão, apenas com o chip. Atualmente, o mercado experimenta um crescimento no sistema de pagamento pelo celular, nas chamadas “carteiras eletrônicas”.
Os projetos futuros incluem fazer com que os chips substituam documentos como passaporte e carteira de motorista, além de abrir portas e dar a partida em automóveis. Tudo isso, se a tecnologia se consolidar e a chamada “internet das coisas” realmente se tornar o padrão.

Não é um rastreador de GPS

O chip desenvolvido pela 32M não é um rastreador de GPS, o que muitos críticos temiam. No entanto, os analistas acreditam que no futuro certamente todos os nossos movimentos serão rastreáveis, como já é possível fazer com quem possui um smartphone.
Outra empresa que fabrica biochips nos EUA, a Dangerous Things, afirma que já vendeu “dezenas de milhares” deles aos consumidores através do seu site. Amal Graafstra, fundador da marca, acredita que esse é uma tendência e que “Vamos começar a ver implantes de microchips tendo a mesma aceitação que piercings e tatuagens possuem”.
Mas os norte-americanos não são os únicos que investem nessa ferramenta. Na Suécia, a empresa BioHax diz que cerca de 3.000 clientes que já implantaram seu chip podem fazer muitas coisas, incluindo andar no transporte do sistema ferroviário nacional sem precisar carregar um bilhete, pois o valor é descontado assim que o passageiro entra.
Já na República Tcheca o chip já é testado como método de pagamento, substituindo o cartão de crédito. Ele possibilita fazer pagamentos sem a necessidade de senhas, se modo similar às pulseiras que estão chegando no Brasil.
Na Austrália, desde 2010, o governo do país vem usando biochips para modernizar seu sistema de saúde. Os implantes fazem várias leituras do corpo e armazenam dados médicos

terça-feira, 27 de junho de 2017

Demônios mais perigosos, segundo a Igreja Satânica

Em um artigo divulgado pela History, informa que Anton Szandor, conhecido como o Papa Negro, autoproclamado sacerdote da Igreja de Satanás e autor da Bíblia Satânica, teria divulgado os nomes dos demônios mais perigosos do satanismo.
Segundo a publicação “os teólogos têm catalogado alguns dos nomes de diabos em suas listas de demônios, mas a seguinte lista contém os nomes mais efetivamente utilizados nos rituais satânicos“. Abaixo apresentamos a lista dos demônios mais perigosos:

Asmodeus: também conhecido como Asmodeo, um demônio do cânone católico, também chamado no Talmud e demais tratados demonologia. Está diretamente relacionado com excessos carnais, sensualidade e luxúria, especialmente a relacionada com estados orgiásticos.

Astarote: notoriamente conhecido como o “Grão-Duque do Inferno”, sua casta compartilha status com a primeira hierarquia demoníaca que envolve os poderosos Belzebu e Lúcifer. É um demônio sedutor, que convence principalmente por meio da preguiça, vaidade e filosofias racionalistas.
Azazel: é líder daqueles anjos caídos que fornicaram com mulheres mortais e deram a luz uma raça de gigantes, conhecida como Nephilim. Ele ensinou os homens como fabricar armas de guerra e as mulheres o ocultismos e o uso de cosméticos.
Balaão é um personagem bíblico e profeta da religião da Mesopotâmia. Na concepção hebraica, é um demônio diretamente relacionada com a avareza e ganância, do poder e da maldade exemplar.
Behemoth: também conhecido Bégimo, esse demônio de origem hebraica e características metamórficas, é extremamente poderoso e capaz de assumir a forma de um animal, como um elefante monstruoso, embora muitos o relacionam a um hipopótamo.
Beelzebub: mais conhecido como Belzebu, seu nome deriva etimologicamente do “Baal Zvuv”, que significa “O Senhor das Moscas”. É nada menos que o príncipe dos demônios, segundo a tradição cristã, tem muitos nomes, dependendo das diferentes manifestações do mal.
Bilis: é um antigo demônio, constantemente à procura de almas daqueles homens que praticam uma sexualidade livre. Ele também está representando o elemento Terra e se completa com a tríade Satanás, Lúcifer e Leviatã.
Cimeries: também conhecido pelo nome de Cimejes, esse demônio é um Marquês do Inferno, descrito como um grande guerreiro, montando um cavalo preto e escoltada por 20 legiões demoníacas. Ele também é o governante de todos os espíritos africanos.
Damballa: esta divindade demoníaca e primitivo, deriva das origens do voodoo Africano. Se move lentamente e furtivamente, mas é capaz de fazer movimentos bruscos e extremamente velozes. Especula-se que a palavra “zumbi” vem da palavra “Nzambi”, referindo-se a este demônio.
Mormo: é um demônio derivado de um espirito da antiga cultura grega, que castigava as crianças desobedientes. Além disso, era consorte de Hécate, a deusa grega do submundo da bruxaria.
Mas existe um Deus, que é superior a todos os demônios juntos, esse Deus é o Deus dos Deus, é o Deus que cremos, seguimos e adoramos! Louvado seja o nosso Deus, que enviou o seu único filho para resgatar aqueles que se havia perdido!
EU SOU DE JESUS!

CERN prestes abrir Portal Demoníaco: Demônios Alpha-2 presos na câmera Antimatéria (Vídeos)


Nosso universo pode em breve estar frio e morto, graças aos cientistas que cutucam o ostento da física, no experimento CERN conhecido como Alpha-2. Eles viram através de um portal para o "OUTRO LADO".

O maior laboratório de física de alta energia do mundo é o CERN, lar do Large Hadron Collider, tão grande que fica em ambos os lados da fronteira, entre a França e a Suíça. O próprio nome do próprio CERN é uma contração de Cernunnos, o deus corvo do submundo, adorado pelos celtas antigos. Cernunnos é um símbolo da ganância do homem. Ele carrega uma bolsa cheia de moeda.
Na sede de Genebra, fica uma estátua de Shiva, um ser divino dos hindus e um destruidor de mundos. Por muitos milhares de anos, tem sido associada à aniquilação. Shiva é o impostor, que finalmente destrói todas as coisas, incluindo a Terra.

O logotipo do CERN incorpora o número da besta, 666, conforme previsto por Apocalipse, capítulo 13. A sede tem sido uma área de teste, para rituais satânicos a meia-noite.
Quando o colisor estava em construção, as escavadoras desenterraram ruínas romanas do século IV. O Collider foi construído no local de um templo romano para o culto de Apollo. Como um deus ciumento, o nome de Apollo era mais frequentemente associado à destruição.
Hoje, os cientistas estão se preparando para lançar o interruptor de energia, no mais novo projeto Alpha. O objetivo da série Alpha é a criação de antimatéria. Antes do ano de 2016, o homem conseguiu produzir, apenas partículas soltas da substância exótica. No entanto, no ano passado, a equipe Alpha sintetizou pela primeira vez, completa átomos de matéria carregada negativamente, especificamente, anti-hidrogênio. Toda vez que a antimatéria é recuperada do poço, traz consigo, por definição, destruição e caos. O poço, é claro, é Hades, e nossa incursão científica desenfreada, agora ameaça lançar um "inferno na Terra" literal.
O diretor-presidente do CERN, Rolf-Dieter Heuer, descreveu-o como quebrando um muro. Seu diretor de pesquisa, Sergio Bertolucci, disse que, uma vez que esta porta tenha sido aberta, algo pode sair dela. Quando os portões do inferno são abertos, por homens que jogam com Deus, os seres interdimensionais receberão livre passagem e emergirão do portal, com gosto pela destruição humana. Contra esses seres, já fomos alertados, durante séculos.

Um dos físicos que trabalhavam no CERN era o Dr. Edward Mantill. Segundo colegas, ele não dormiu por dias, quando em julho de 2016, ele se trancou dentro de seu escritório. Depois de uma semana de não cumprir as suas nomeações ele foi encontrado atrás de seu armário, ferido de um tiro de tiro auto-infligido. Os papéis foram queimados em sua lixeira e o resto de seus dados experimentais foram excluídos permanentemente do computador, por meio de um formato de baixo nível do disco rígido, com exceção de um arquivo de texto.

Embora a porta interdimensional ainda não tenha sido aberta, o arquivo de texto das últimas palavras do Dr. Mantill, revelou que, apesar do fato de que o portal ainda não estava aberto, os experimentadores puderam ver através dele, do outro lado. Em uma de suas experiências, ele viu uma cena assustadora de três anos para o futuro, quando cientistas do CERN poderiam estar sentindo em modo de pânico, lutando para fechar o portão aberto. Um buraco negro foi lançado, que consumiu nosso próprio planeta em três dias curtos.

Stephen Hawking, o físico semi-paralisado inglês, previu que o CERN desencadeia uma bolha de decadência vazia, expandindo-se à velocidade da luz. Até o astrofísico Neil de Grasse Tyson soou um alarme, quando ele disse se alguém quisesse explodir o planeta, essa seria uma boa maneira de fazê-lo.

Postagem em destaque

Em 1/3 dos países do mundo é proibido evangelizar

As leis que proíbem a blasfêmia são “alarmantemente difundidas” em todo o mundo, com muitos países estabelecendo punições desproporcionais,...