domingo, 21 de fevereiro de 2010

NOTÍCIAS DO ORIENTE MÉDIO

Do Iraque chegam notícias diárias sobre atentados e mortes, notícias essas que já não causam maiores reações e surpresas em quem as ouve, vê ou lê. A verdade é que, praticamente todos os dias morrem dezenas de pessoas por causa de ataques suicidas e de confrontos entre as forças oficiais do Iraque, apoiadas por tropas americanas e grupos insurgentes. A ocupação americana, ao que parece, só fez aumentar o clima de instabilidade naquela região. Cremos que o Iraque cumprirá um papel dentro dos conflitos e/ou grande tratado de paz no Oriente Médio que dará início ao período tribulacional.

Por outro lado, o Irã anunciou na quarta-feira, dia 03/02/10, o lançamento bem-sucedido de seu terceiro foguete de fabricação nacional, o Kavoshgar-3, e anunciou que vai iniciar três novos projetos para a construção de satélites de telecomunicações. O Ocidente vê com ressalvas estes lançamentos e teme que o que Teerã diz ser um programa espacial esconda intenções militares. A verdade é que nos últimos dias, o presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, tem feito declarações surpreendentemente conciliatórias em relação ao programa nuclear iraniano. Uma brusca mudança em seu discurso. O que teria originado isso? Cremos que, muito provavelmente, o iminente ataque israelense às instalações nucleares iranianas possa ter causado essa súbita mudança de rumo no discurso de Ahmadinejad. Acenando com a possibilidade de diálogo aberto, ele lança sobre si uma certa segurança que Israel não atacará seu país. Ao mesmo tempo, o Irã continua se armando para a guerra. Recentemente, anunciou a inauguração de mais 2 fábricas de mísseis. Enquanto estamos postando essa edição, o governo iraniano acaba de autorizar o enriquecimento de seu urânio a 20% (até agora esse percentual era de 5%). Os eventos estão ocorrendo rapidamente. Sabemos que a palavra revelada em Ezequiel 38 e 39 se cumprirá. Vamos permanecer atentos. O Irã parece estar querendo ganhar tempo para algo muito maior...

Enquanto isso, o clima de tensão continua no Oriente Médio. Há poucos dias, o ministro das Relações Exteriores de Israel fez uma declaração que retrata esse clima de crescente tensão. Veja:

“Chanceler israelense ameaça derrubar regime sírio na próxima guerra” (BBC BRASIL - 04/02/10)

“O ministro das Relações Exteriores de Israel, Avigdor Lieberman, ameaçou nesta quinta-feira "trucidar" o Exército da Síria e derrubar o presidente do país, Bashar al-Assad, em caso de uma guerra entre os dois países.
"Você e sua família perderão o poder", afirmou Lieberman, acrescentando ainda que a Síria deve abandonar seus sonhos de recuperar a região das Colinas do Golã, ocupadas por Israel.
As ameaças agravam ainda mais a escalada verbal entre os dois países verificada nos últimos dias. A recente escalada verbal entre os dois países começou no início da semana com uma declaração do ministro da Defesa de Israel, Ehud Barak, que disse que se não houver um acordo de paz com a Síria, "poderá haver uma guerra generalizada".
Em resposta, o ministro das Relações Exteriores da Síria, Walid Moallem, declarou que os israelenses devem parar de se comportar como "bandidos" e afirmou que "os israelenses sabem que a próxima guerra pode atingir suas cidades". O ministro sírio também disse que Israel "está plantando as sementes de um clima de guerra, ameaçando atacar o Irã, o Líbano e a Faixa de Gaza".
Líderes políticos da esquerda e da oposição classificaram as ameaças de Lieberman contra a Síria como "irresponsáveis e insensatas" e pediram que o primeiro-ministro Binyamin Netanyahu demita seu chanceler por fazer "provocações desnecessárias". Além de ameaçar derrubar o regime sírio, Lieberman também anunciou que a Síria deve "abrir mão do sonho de reaver as colinas do Golã, isso não vai acontecer". A devolução das colinas do Golã, ocupadas por Israel durante a guerra de 1967, é a condição fundamental da Síria para qualquer acordo de paz com Israel. A última ameaça ao regime sírio por parte de um líder israelense importante ocorreu poucos meses antes da guerra de 1967 e foi feita por Itzhak Rabin, então chefe do Estado Maior do Exército israelense e que seria posteriormente primeiro-ministro do país, de 1974 a 1977 e de 1992 até seu assassinato, em 1995”.

Vamos permanecer atentos, observando tudo o que ocorre de importante no Oriente Médio. O cumprimento das profecias se aproxima...


O APARENTE EQUILÍBRIO COMEÇA A TREMER


Nas últimas edições de ÚLTIMOS ACONTECIMENTOS, temos, insistentemente, batido na tecla de que essa aparente “recuperação” da economia global não passa de uma ilusão. No dia 04/02/10 essa impressão nossa foi corroborada na prática. Veja a notícia:

“Medo de nova crise derruba as Bolsas” (O GLOBO – 05/02/10)

“Os mercados financeiros desabaram ontem com o aumento do medo a respeito do endividamento do bloco de países conhecidos como “Pigs” (Portugal, Itália, Grécia e Espanha, na sigla em inglês). A Bolsa brasileira despencou 4,73% pelo seu índice Ibovespa.
O pânico envolve a piora da situação da Grécia, a elevada taxa de desemprego, em torno de 20%, na Espanha, e a dificuldade de o governo de Portugal de vender seus bônus, com o boato de que Portugal não conseguiria honrar tais compromissos...
Ontem (04/02/10), o Departamento de Trabalho norte-americano divulgou um aumento de oito mil novos pedidos de seguro-desemprego na última semana, totalizando 480 mil no último mês...”


Quem crê realmente nas profecias bíblicas, sabe que o sistema financeiro do mundo sofrerá radicais transformações até que o sistema da besta seja implantado a nível mundial (Apocalipse 13:16-18). Logo, viver com a esperança de que tudo vai melhorar e que o homem conseguirá resolver seus problemas ao longo de tempo é ir contra o que está profetizado. Ou cremos na capacidade humana, muitas vezes influenciada ou compactuada com forças espirituais da maldade, ou cremos nas profecias bíblicas. Nós temos escolhido crer naquilo que a Palavra revela e estarmos atentos contra as ciladas e o engano do inimigo espiritual de nossas almas.

Se bem é certo que alguns países, entre os quais o Brasil, não sofreram todo o impacto da crise de 2009 e estão mostrando uma tímida recuperação, colocar as esperanças nessa “recuperação” é, ao nosso ver, racionalmente temerário e espiritualmente descabido. A economia global está totalmente interligada, fato inexistente há 30 anos. Logo, qualquer baque considerável nos EEUU ou na Europa, causará enormes conseqüências em outros países também. Caso haja uma crise generalizada, cremos que ela virá num nível muito mais abrangente e profunda que a do ano passado, pois alcançará em cheio países que ainda estão tentando se recuperar da crise dos subprime de 2009. Muitos países, como temos afirmado, não têm lastro suficiente para a emissão das enormes quantias de dinheiro que foram feitas para oxigenar a economia em 2009 devido à crise. O déficit americano, segundo dados oficiais, está na casa de trilhões de dólares. Há poucas horas, o presidente do FMI, Dominique Strauss-Kahn, disse que a crise na Espanha “é muito forte”. Vamos aguardar. Devemos estar apercebidos em todos os momentos (Mateus 24:44).
O CERCO SE FECHA


O cerco do qual falamos é invisível e quase imperceptível. Porém, pouco a pouco vai se aprofundando no inconsciente coletivo a idéia de rejeição contra toda posição fundamentalista em relação à fé. O episódio mais recente envolvendo essa questão ocorreu no incidente provocado pelo nigeriano Umar Farouk Abdulmutallab, indiciado por tentar explodir um avião que sobrevoava os Estados Unidos no dia 25 de dezembro de 2009. Ele disse aos investigadores que o clérigo radical americano-iemenita Anwar Al Awlaki foi quem ordenou o ataque. Awlaki tem pais iemenitas e nasceu no Novo México (EUA). Ele já pregou em mesquitas na Califórnia e Virgínia antes de se mudar para a cidade natal de seus pais no Iêmen, em 2004. Ele se tornou popular entre simpatizantes dos militantes islâmicos por seus sermões em inglês e disponíveis na Internet, nos quais explica a jovens muçulmanos a filosofia da violenta jihad e o martírio contra o Ocidente e seus governos aliados.

Esse é apenas um dos muitos fatos envolvendo fundamentalistas muçulmanos. Outros têm envolvido fundamentalistas autodenominados de cristãos. Não estamos aqui defendendo os fundamentalistas ou o fundamentalismo dessas pessoas. O que queremos passar é que a cada dia se cria uma crescente mentalidade mundial contra todo tipo de crença total e inegociável. As palavras de ordem atualmente ligadas aos poderes mundiais são “tolerância”, “coexistência” e “ecumenismo”. A mensagem que está sendo transmitida à mente das pessoas é que as principais mazelas do mundo provêm das lutas religiosas. De certa forma, essa mensagem tem razão. O homem, usando nome de Deus, tem cometido inúmeras atrocidades. Até mesmo instituições que usam o nome de Cristo e que tentam tomar o lugar da verdadeira Igreja do Senhor tem se envolvido em questões desse gênero durante a história. O grande problema está em que o mundo não pode discernir entre quem é religioso e quem é discípulo de Cristo, pois essa diferença se discerne espiritualmente. Logo, como em quase tudo que envolve o reino das trevas, há uma boa dose de verdade misturada com uma pequena e quase imperceptível dose de mentira. A verdade é que a loucura religiosa tem trazido inúmeros males ao próprio homem. Porém, a mentira é que a fé em Cristo como único e suficiente Salvador e Senhor é mais uma dessas loucuras religiosas. Aí está mais um sofisma maligno e, muito provavelmente, este será utilizado no sistema da besta.

Então, cremos que num futuro muito breve, essa aversão generalizada contra crenças fundamentalistas, servirá como base para perpetrar uma grande perseguição contra a Igreja de Cristo a qual, embora não se envolva em disputas políticas, cruzadas sangrentas, atentados suicidas ou nada desse tipo, é um Corpo que não abre mão de sua fé em Jesus Cristo, mesmo diante da perseguição, tortura e morte. Que possamos estar atentos contra as sutilezas maquinadas pelo inimigo. Que estejamos atentos ao real significado de algumas notícias. Por exemplo, nos últimos dias uma das notícias que mais tem rodeado o mundo se refere aos 10 missionários batistas norte-americanos que tentavam levar crianças haitianas até a República Dominicana. A mensagem subliminar que se passa nessa notícia é que tais missionários evangélicos estariam raptando crianças, aproveitando-se do momento de caos e dor que atravessa o Haiti. Não podemos nos enganar. A perseguição generalizada contra a Igreja do Senhor Jesus não surgirá do nada. Sempre haverá um “motivo” criado pelas forças do mal nas regiões celestes. Da mesma forma que a perseguição institucional do império romano começou quando Nero responsabilizou falsamente nossos irmãos pelo incêndio e desordens em Roma, assim também haverá pretextos malignos para perseguir a Igreja do fim dos tempos. O Senhor Jesus foi claro:

“Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá fomes, e pestes, e terremotos, em vários lugares. Mas todas estas coisas são o princípio de dores. Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome. Nesse tempo muitos serão escandalizados, e trair-se-ão uns aos outros, e uns aos outros se odiarão. E surgirão muitos falsos profetas, e enganarão a muitos. E, por se multiplicar a iniqüidade, o amor de muitos esfriará. Mas aquele que perseverar até ao fim será salvo” (Mateus 24:7-13)

Nenhum comentário:

Postagem em destaque

Seita chinesa acredita que Jesus reencarnou em mulher

A Igreja do Deus Todo-Poderoso (IDTP) é uma religião que nasceu no início dos anos 90 na China, e crê que Jesus reencarnou em uma mulher ch...