domingo, 18 de maio de 2008

DESPERTAI

Enquanto bilhões de pessoas, inclusive alguns cristãos, permanecem vivendo como se nada estivesse preste a ocorrer, os próprios cientistas vêm acenando há algum tempo para a proximidade do chamado “fim do mundo”. A Palavra já nos alerta sobre esse descaso da maioria, tanto entre os descrentes, como no seio das igrejas cristãs. O Senhor Jesus compara os dias de Sua vinda aos dias anteriores ao dilúvio onde, não obstante verem Noé construindo uma gigantesca embarcação e apregoando a proximidade do juízo divino, a maioria preferiu continuar “comendo, bebendo, casando-se e dando-se em casamento” (Mateus 24:37-39). O apóstolo Paulo aponta para o descaso que haveria dentro de muitos grupos denominados cristãos:

“Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências; E desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas. Mas tu, sê sóbrio em tudo, sofre as aflições, faze a obra de um evangelista, cumpre o teu ministério.” (II Timóteo 4:3-5)

Uma outra tradução cita no versículo 3 “...mas, tendo grande desejo de ouvir coisas agradáveis, ajuntarão para si mestres segundo seus próprios desejos...” (Versão Revisada-1988-Imprensa Bíblica Brasileira).

Sem dúvidas, todos nós gostamos de ouvir coisas agradáveis. O próprio termo “evangelho” significa “boas novas”. Porém, a Palavra também nos revela a respeito das aflições que enfrentaríamos e da grande tribulação e perseguição que atravessaremos no período que antecede a volta triunfal de Cristo. O verdadeiro evangelho não esconde isso. Muitos tentam omitir essa realidade em suas pregações e conversas, e é sobre isso que Paulo nos alerta na passagem citada. Milhões de cristãos hoje preferem seguir um evangelho repleto de promessas de prosperidade, obtenção de sonhos, conquistas sociais e financeiras, direitos espirituais como herdeiros, mas não estão preparados para “sofrer as aflições”, como Paulo ensina a Timóteo. A sã doutrina tem se tornado um fardo insuportável para muitos. Que possamos discernir a sã doutrina e rejeitar a doutrina das coisas agradáveis.
Enquanto muitos são ludibriados com o evangelho das coisas agradáveis, os cientistas continuam alertando para a proximidade do fim. Veja:


“Mudança climática adianta 'relógio do fim do mundo” (BBC-BRASIL 17/01/07)

“Um relógio simbólico que indica a proximidade da humanidade de sua extinção foi “adiantado” em dois minutos nesta quarta-feira por um grupo de cientistas que avalia os perigos que ameaçam a humanidade. Segundo os especialistas do Boletim de Cientistas Atômicos (BAS, sigla em inglês), as ameaças trazidas pelo aquecimento global agora representam um risco significativo o suficiente para se adicionarem à ameaça de guerra nuclear, perigo que motivou o BAS a criar o relógio 60 anos atrás, logo depois que os Estados Unidos jogaram bombas atômicas em Hiroshima e Nagasaki, no Japão.
Imóvel desde 2003, o relógio, instalado na cidade americana de Chicago, foi adiantado para 23h55. Nunca, desde o final da Guerra Fria, o relógio esteve tão próximo da meia-noite, hora que representa a extinção da humanidade...O físico Stephen Hawkins testemunhou o ajuste no relógio.
Originalmente, o relógio só levava em conta as ameaças nucleares, mas mudou os critérios, incluindo as ameaças ambientais. “Quando nos perguntamos sobre quais tecnologias além do armamento nuclear significavam um risco de devastação da humanidade, rapidamente pensamos na emissão de carbono”, afirmou Kenneth Benedict, diretor-executivo da BAS. O anúncio foi feito em eventos simultâneos da revista em Londres e Washington, contando com observações do astrônomo Martin Rees e do físico Stephen Hawking. “O impacto coletivo da humanidade na biosfera não tem precedentes”, disse Rees. “Essas ameaças ambientais – ameaças sem inimigos – devem ter o devido papel na política internacional de hoje, assim como durante a Guerra Fria.
Uma série de fatores e eventos levou o BAS a declarar que “o mundo não enfrenta escolhas tão perigosas” desde o lançamento das bombas atômicas em Hiroshima e Nagasaki. Os fatores e eventos em questão são as ambições nucleares do Irã, a detonação de um artefato nuclear pela Coréia do Norte e a presença de 26 mil armas atômicas de Estados Unidos e Rússia, além da incapacidade da comunidade internacional de impedir o tráfico de material nuclear como urânio e plutônio enriquecidos. Além do aquecimento global, o BAS também levou em considerações ameaças de outra natureza que tinham menor peso, como as vindas de tecnologias como biologia sintética e modificação genética.”

Enquanto isso a situação no Iraque piora a cada dia. O próprio governo americano já reconheceu a grande instabilidade na região, chegando a anunciar o envio de mais de 20.000 soldados. Não sabemos com certeza o que ocorrerá no Iraque, mas, sem dúvidas, a situação iraquiana está ocasionando o cenário propício para os acontecimentos finais já profetizados envolvendo Israel e países vizinhos. A guerra já custou aos EUA, além do desgastes, mais de US$ 400 bilhões. O exército mais bem equipado e temido do mundo não conseguiu, até o momento, dominar totalmente a situação no Iraque. Pelo contrário, a cada dia que passa as possibilidades de uma retirada americana são maiores, assim como a de um conflito civil entre os diferentes grupos iraquianos. O Iraque parece ser o estopim do grande conflito que está prestes a ocorrer no Oriente Médio...

NOTÍCIAS DE ISRAEL

Uma notícia nos chamou a atenção nos últimos dias envolvendo Israel. Pela primeira vez, o governo israelense citou um prazo definido para a consolidação do Estado Palestino. Veja:

“Israel sugere Estado palestino em 30 meses; palestinos são presos” (EFE-10/01/07)


“O ministro da Defesa de Israel, Amir Peretz, líder do Partido Trabalhista, voltou a falar nesta quarta-feira sobre seu novo plano de paz para a questão israelo-palestina para pôr fim ao conflito com os palestinos, que podem obter sua independência nacional dentro de dois anos e meio. Peretz deu mais detalhes sobre seu plano de paz antecipado ontem e disse, na base militar de Tseelim, que sua proposta descarta os planos do governo do ex-primeiro-ministro Ariel Sharon, de estabelecer "um Estado palestino provisório" em Gaza e áreas da Cisjordânia, com suas futuras fronteiras ainda por negociar. Essa proposta nunca prosperou e o conflito se intensificou depois que o Hamas [partido político que possui braço armado radical), representado pelo primeiro-ministro Ismail Haniyeh, chegou ao poder em março do ano passado.
Segundo a iniciativa, o plano de paz teria três períodos diferentes que culminariam com a criação do Estado palestino.
No primeiro momento, a prioridade será o "fortalecimento econômico (nos territórios palestinos) e o surgimento de dirigentes com quem negociar", disse Peretz. O segundo passo será "determinar os princípios para negociar um tratado definitivo de paz e a transferência de territórios (ocupados da Cisjordânia) da zona B para a zona A", controlada pela Autoridade Nacional Palestina (ANP), segundo o acordo de autonomia de 1995, em troca de desmantelar a infra-estrutura e desarmar a resistência. "A terceira etapa será a aplicação dos princípios estipulados para negociar a paz até o estabelecimento do Estado palestino", disse Peretz, que não se referiu à questão das fronteiras.

Sem dúvidas, no contexto desse “tratado definitivo de paz”, podemos vislumbrar a participação do anticristo. Não podemos esquecer aquilo que Paulo nos escreve: “Pois que, quando disserem: Há paz e segurança, então lhes sobrevirá repentina destruição, como as dores de parto àquela que está grávida, e de modo nenhum escaparão” (I Tessalonicenses 5:2). É interessante observar que o apóstolo dos gentios compara a destruição repentina às dores de parto de uma mulher grávida. Fica patente que Paulo não se refere a um fenômeno que ocorrerá sem avisos prévios. O “repentino” se refere à rapidez com a qual virá a destruição. Assim como a grávida sabe com certa precisão quando sentirá as dores de parto, o apóstolo nos mostra a partir de que momento sobrevirá a destruição repentina: quando disserem há paz e segurança. Qual é o epicentro dos conflitos políticos-religiosos de nosso mundo? Quem respondeu Israel e países vizinhos, acertou. Portanto, quando lemos notícias como a que acabamos de ler, colocando um prazo de pouco mais de 2 anos para um “tratado definitivo de paz” na região mais conflitante do mundo e que é o epicentro profético, então podemos perceber quão próximo está o cumprimento dos tempos já determinados pelo Senhor!

No dia 07 de janeiro recebemos uma notícia que causou impacto nos meios internacionais. Veja o conteúdo dela:

“Israel planeja lançar ataque nuclear contra Irã, diz jornal” (FOLHA ONLINE-07/01/07)

“Israel traçou planos secretos para lançar um ataque nuclear contra instalações iranianas que poderiam servir para fabricar armamento atômico, segundo reportagem publicada neste domingo no jornal britânico "The Sunday Times". Se confirmado, o ataque seria o primeiro com armas nucleares desde 1945, quando os Estados Unidos lançaram bombas atômicas sobre as cidades japonesas de Hiroshima e Nagasaki. Segundo o jornal, a força da bomba de Hiroshima é 15 vezes maior do que a de cada bomba que Israel pretende utilizar contra o Irã.
Dois esquadrões da Força Aérea israelense se preparam para atacar com bombas nucleares táticas uma fábrica iraniana de enriquecimento de urânio na localidade de Natanz, diz o jornal, que cita fontes israelenses. De acordo com os planos, o ataque começaria com bombas convencionais guiadas por laser, que se encarregariam de abrir túneis pelos quais imediatamente entrariam as bombas nucleares. Em seguida, explosivos seriam lançados contra a planta em Natanz, causando uma explosão subterrânea, para minimizar o risco de vazamento radioativo à atmosfera.
Segundo o "Sunday Times", os planos israelenses seriam conseqüência das descoberta do Mossad --serviço secreto israelense --de que o Irã estaria a ponto de produzir urânio enriquecido suficiente para fabricar bombas nucleares em apenas dois anos. O Exército israelense acredita, segundo o jornal, que não bastariam ataques com armas convencionais para destruir as instalações de enriquecimento de urânio. Algumas delas foram construídas a 22 metros de profundidade e estão protegidas por rocha e concreto.
Segundo o "Sunday Times", estrategistas israelenses identificaram três alvos ao sul de Teerã nos quais Estados Unidos e Israel suspeitam estarem envolvidos no programa nuclear iraniano. O primeiro é Natanz, onde se instalaram milhares de centrífugas para o enriquecimento de urânio. O segundo é uma fábrica de conversão de urânio nas proximidades de Ispahan, onde em seus túneis estão armazenadas 250 toneladas de gás para esse processo de enriquecimento, segundo declarou na semana passada o vice-presidente iraniano. O terceiro alvo citado pelo jornal é um reator de água pesada em Arak, que pode chegar a produzir plutônio suficiente para uma bomba atômica.
Analistas militares israelenses dizem acreditar, segundo o jornal, que a destruição dessas três instalações causaria um dano irreversível ao programa nuclear iraniano. Pilotos israelenses viajaram para Gibraltar nas últimas semanas a fim de treinar para a viagem de ida e volta de mais de 3.200 quilômetros em que consistiria essa missão, segundo o jornal.
Autoridades israelenses e americanas se reuniram diversas vezes para discutir uma ação militar contra o Irã, de acordo com o jornal britânico. Alguns especialistas advertem, no entanto, que o Irã poderia adotar represálias, interrompendo a provisão de petróleo ao Ocidente e lançando ataques terroristas contra alvos judeus no mundo todo. O governo israelense afirmou em várias ocasiões que não permitirá que armas nucleares sejam fabricadas no Irã, país cujo presidente, Mahmoud Ahmadinejad, declarou em certa ocasião que Israel deveria ser "varrido do mapa".

Horas depois, autoridades israelenses se apressaram para desmentir essa notícia...O porta-voz do ministério de Relações Exteriores de Israel, Mark Regev, disse à imprensa, após a reunião semanal do conselho de ministros, que Israel deseja que o conflito sobre o programa nuclear iraniano seja resolvido “pela via diplomática”, segundo a resolução 1737 do Conselho de Segurança da ONU. "Israel, atualmente, apóia plenamente as ações diplomáticas e a implementação dessa resolução", que impõe sanções ao Irã por se negar a suspender um programa que pode levar o país a fabricar armas nucleares. "Se a diplomacia for bem-sucedida o problema poderá ser resolvido de maneira pacífica", acrescentou Regev.

Essa questão nos mostra o quanto estamos próximos do fim desta era. Mesmo na negativa do porta-voz israelense, fica claro que o problema poderá ser resolvido de forma pacífica “se” a diplomacia for bem-sucedida. E se não for? De acordo com fontes da inteligência militar, em dois ou tres anos o Irã terá a possibilidade de ter uma bomba nuclear. Israeal já declarou que não permitirá que o Irã chegue a esse patamar. A questão é: em dois ou tres anos a diplomacia conseguirá resolver o impasse? Sinceramente, cremos que não. Porém, não podemos esquecer de algo muito importante. De acordo com o profeta Ezequiel, o Irã será um dos aliados de Gog, quando este invadir Israel. Logo, isso sugere que a Rússia terá alguma participação em alguma possível negociação envolvendo o impasse entre Israel e o Irã, o que não quer dizer que não haja a possiblidade anterior de algum ataque preventivo israelense ao Irã. Vamos continuar atentos!


O CONDICIONAMENTO CONTINUA...

Temos observado que, ao mesmo tempo em que tecnologias de controle e vigilância vão sendo implantadas em todo o mundo, algumas situações constrangedoras e incomodas vão sendo criadas para que a população rejeite os métodos convencionais e fique aberta às novas tecnologias. Por exemplo, em 2004 foi lançado um programa experimental nos EEUU, principalmente em função dos ataques de 11/09/01, para que passageiros que viajam com frequência pudessem evitar as longas filas de controle convencionais, usando um novo método de identificação biométrica, através da identificação da íris e da digital, tudo isso feito de forma eletrônica, levando poucos segundos. De lá pra cá, vários países têm experimentado grandes problemas envolvendo sua aviação civil. Esses problemas são de vários tipos. A maioria provêm de ameaças terroristas a grandes aeroportos do mundo, fazendo com que milhares de pessoas tenham que adiar seu voôs, dormir nos aeroportos, passem por situações constrangedoras, etc. Quem não se lembra do caos causado nos aeroportos britânicos há poucos meses, ocasionando em grande truma na população européia?
Então, fica patente uma coisa. A população mais influente do planeta, aquela que usa os serviços da aviação civil, têm passado por constrangimentos nunca antes vistos. Como vimos, já existe a tecnologia necessária para “resolver” uma grande parte desse problema...Porém, fica a clara impressão que aqueles que planejam o controle total da população mundial, o qual será utilizado pela besta, estão esperando para que o condicionamento se aprofunde e para que a aflição das pessoas mais influentes do planeta chegue ao cúmulo. Do jeito que as coisas caminham, chegará o momento em que as pessoas que utilizam os serviços aeroportuários estarão dispostas “a tudo” para que o atual nível de constragimento cesse. Retratando aquilo que estamos comentando, veja a seguinte notícia e note o discurso daqueles que defendem os direitos civis. Se você observar, notará nas entrelinahs que atémesmo eles são favoráveis a uma “tecnologia superior” que isente as pessoas de qualquer constrangimento:

“EUA tomarão as dez impressões digitais de visitantes, diz jornal” (EFE-07/01/07)

“As autoridades de imigração dos Estados Unidos deverão tomar as dez impressões digitais de todos que entrarem no país para incluí-las em um banco de dados partilhado com o FBI [polícia federal americana], o que motivou duras críticas de grupos de defesa dos direitos civis... A informação foi publicada hoje pelo dominical britânico "The Observer", segundo o qual, em meio à luta contra o terrorismo, os dados obtidos através deste procedimento serão compartilhados com outras agências de segurança.
O jornal diz ainda que não haverá qualquer tipo de restrição à utilização das impressões digitais em escala internacional. Até o momento, nos aeroportos americanos são tomadas apenas duas impressões digitais. A ampliação do procedimento aos outros dedos servirá para tornar os dados de cada visitante compatíveis com o banco de informações do FBI, afirma o jornal. "Vamos começar os testes em vários aeroportos neste verão", confirmou uma porta-voz do Departamento de Segurança Nacional dos Estados Unidos... O plano americano foi duramente criticado pelo grupo britânico de direitos civis Liberty. "Armazenar as impressões digitais de milhões de passageiros inocentes não servirá para dissuadir potenciais terroristas", afirmou a diretora da ONG, Shami Chakrabarti. "Essa proposta realmente maníaca transforma milhares de viajantes que respeitam a lei em suspeitos de terrorismo", denunciou Simon Davies, diretor do Privacy International, grupo que também defende a proteção da privacidade. Davies advertiu que a tecnologia deixa muito a desejar, e, por isso, alguns visitantes dos Estados Unidos podem ser vítimas de um verdadeiro pesadelo, caso seus dados sejam confundidos com os de outra pessoa.
Segundo relatório recente do grupo de direitos civis Statewatch, que citava um estudo japonês de quinze sistemas biométricos, onze deles não conseguiram detectar "falsas" impressões digitais quando a parte interna dos dedos era coberta com fita adesiva. O "Observer" lembra que as autoridades americanas têm acesso aos dados dos cartões de crédito e contas de e-mail de cidadãos britânicos e de outros países europeus, devido a um acordo entre Washington e Bruxelas. Todos os que viajam para os Estados Unidos podem ter rastreadas todas as suas transações realizadas com cartões de crédito caso utilizem um para comprar a passagem de avião. Os passageiros que informarem seu endereço de e-mail a uma companhia aérea se expõem também à análise de todas as mensagens pessoais enviadas ou recebidas via correio eletrônico.”

Esta notícia só faz confirmar o fato que já comentamos anteriormente. A cada dia que passa as pessoas estão mais propensas a aceitarem uma solução tecnológica que lhes traga a tão sonhada segurança, sem o ônus de ter que passar por situações constrangedoras. O sinal da besta ou o seu protótipo está prestes a ser implantado. Que possamos estar atentos!

Nenhum comentário:

Postagem em destaque

Seita chinesa acredita que Jesus reencarnou em mulher

A Igreja do Deus Todo-Poderoso (IDTP) é uma religião que nasceu no início dos anos 90 na China, e crê que Jesus reencarnou em uma mulher ch...