sábado, 27 de dezembro de 2008

Daniel 9:26b - E até ao fim haverá guerra

Daniel 9:26b - E até ao fim haverá guerra; estão determinadas as assolações.

Leia as Manchetes:
04/01/2009 - 09h21
Ofensiva terrestre israelense avança para norte de Gaza
O Exército israelense opera neste domingo na entrada da Cidade de Gaza, a dezenas de quilômetros da fronteira com Israel, informaram testemunhas. No nono dia consecutivo dos bombardeios israelenses contra alvos do movimento islâmico Hamas na região, as Forças de Defesa ampliam a ofensiva terrestre, considerada o segundo passo da grande ofensiva militar que deixou ao menos 460 mortos e cerca de 2.350 feridos.
Tanques e unidades de infantaria foram vistos na área da antiga colônia de Netzarim, esvaziada durante o desmonte dos assentamentos judeus na faixa de Gaza em meados de 2005, cerca de três quilômetros ao sul da cidade de Gaza.
Com o avanço das tropas de artilharia para o norte, Israel dividiu a faixa de Gaza em dois segmentos, um movimento que, segundo o jornal israelense "Jerusalem Post", visa reduzir o fluxo de armas, suprimentos e militantes para a parte norte da região.
Segundo a Rádio Israel, testemunhas disseram à imprensa árabe que os tanques das Forças de Defesa de Israel podiam ser vistos na área entre a cidade de Gaza e Netzarim. O canal British Sky News relatou a presença de 150 tanques na área de Netzarim.
Na noite deste sábado (3), 30 soldados ficaram feridos no confronto direto com militantes do Hamas, que resistiram a entrada dos tanques em seus redutos. O número foi confirmado pelo Exército israelense, que afirmou que dois deles estão em estado grave.
O porta-voz do Exército, contudo, negou informações de que um soldado israelense tenha morrido durante a ofensiva, destacando que o exército israelense "não contabilizava nenhuma baixa" na manhã deste domingo.

03/01/2009 - 12h55
Israel lança ataque terrestre contra faixa de Gaza, afirmam testemunhas, em uma medida que pode dar início a uma nova fase da ofensiva militar israelense contra o movimento radical islâmico Hamas.

03/01/2009 - 09h24
Hamas adverte sobre "destino sombrio"
O principal líder do movimento islâmico radical palestino Hamas, Khaled Meshaal, advertiu Israel que não tente uma ofensiva terrestre na faixa de Gaza pois, caso o faça, terá pela frente "um sombrio destino". O governo israelense manteve neste sábado os bombardeios aos alvos do Hamas na região, que já deixaram 420 mortos e cerca de 2.200 feridos.

03/01/09 - 07h58

No oitavo dia de ataques, a Força Aérea israelense continua os bombardeios sobre a Faixa de Gaza, que nesta madrugada causaram a morte, segundo fontes militares israelenses, de um destacado comandante militar do Hamas. Mamduk Jamal era um comandante militar do Hamas.
29/12/2008 - 22h32
Após três dias de bombardeios de Israel, mortos passam de 360 na Faixa de Gaza; ministro promete guerra "até o fim". Autoridades de saúde palestinas contabilizavam 364 mortes, 62 dos quais civis. O número de feridos passa de 1.400.

Militantes palestinos fizeram um ataque com mísseis contra Israel nesta segunda, mostrando que o Hamas ainda tem poder de fogo depois do episódio mais violento na região em mais de 40 anos. Nos ataques desta segunda, Israel focou os bombardeios em casas de militantes e outros alvos do Hamas, em uma campanha designada para cortar pela raiz o grupo extremista palestino. O ministro da Defesa de Israel, Ehud Barak, prometeu que será uma guerra "até o fim" contra o Hamas e militantes aliados do grupo. O número de israelenses mortos por palestinos aumentou para quatro desde sábado.


29/12/2008 - 22h30

GAZA, 29 dez 2008 (AFP) - Ao menos 10 palestinos morreram e outros 40 ficaram feridos em ataques aéreos israelenses realizados na madrugada desta terça-feira contra a Faixa de Gaza, informou à AFP o chefe dos serviços de emergência do território, Moawiya Abu Hassanein.Entre os objetivos desta nova onda de ataques, concentrada na cidade de Gaza, estão o escritório do primeiro-ministro, os prédios dos ministérios da Defesa, Relações Exteriores e Economia, a Universidade Islâmica e um clube relacionado ao Fatah (partido do presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas), segundo dirigentes do Hamas e testemunhas.A aviação israelense fez ao menos 40 ataques contra a Faixa de Gaza nesta madrugada, afirmaram as testemunhas.O ministério das Relações Exteriores, dirigido por Mahmud Zahar, um dos mais influentes líderes do Hamas, foi completamente destruído, assim como as casas vizinhas ao prédio.A sede do ministério da Economia também foi severamente atingida, assim como diversas instalações do braço armado do Hamas, as Brigadas Ezzedine al Qassam, na parte oeste da cidade de Gaza.Os ataques, que atingiram ainda dezenas de casas, provocaram diversos incêndios em Gaza e não há mais energia na região, segundo testemunhas.O Exército hebreu confirmou os novos ataques "contra objetivos do Hamas", destacando que a operação ainda está em curso.

28/12/2008 - 09h45
Número de mortos sobe para 270 em Gaza; Hizbollah pode entrar no conflito
Ao menos 270 pessoas morreram e mais de 700 estão feridas desde o início dos ataques israelenses na faixa de Gaza na manhã de ontem, informou neste domingo autoridades locais. A Força Aérea de Israel informou hoje que os ataques continuam, pelo segundo dia consecutivo, e que o número de bombas atiradas contra alvos dos grupos radicais do Hamas deve subir para 210.
Desde o início dos ataques, os palestinos já atiraram 110 bombas em Israel, tendo matado uma mulher em casa.
O líder do grupo xiita Hizbollah, Hassan Nasrallah, prometeu fazer um pronunciamento hoje sobre o ataque, mas já afirmou que irá destruir Israel em caso de um novo conflito. O ataque é considerado o pior desde a Guerra dos Seis Dias, em 1967.
Força militar de Israel afirma que continuará com os ataques; mais de 100 bombas foram arremessadas na faixa de Gaza nesta manhã
Entenda a disputa pela terra entre palestinos e israelenses
Segundo o Estado hebreu, o movimento xiita triplicou a sua capacidade de fogo desde o último conflito, em 2006, que desvastou o sul do Líbano. Na época a ONU conseguiu colocar fim a 34 dias de guerra entre Israel e Hizbollah, por meio de uma resolução.
Mesmo com o pedido de trégua do Conselho de Segurança da ONU (organização das nações unidas), os ataques israelenses continuam durante o dia de hoje e mais de 100 bombas foram arremessadas contra Gaza. De acordo com fontes libanesas, cinco caças de Israel sobrevoaram na manhã de hoje a região de Bint Jbeil (124 Km ao sul de Beirute).
De acordo com o jornal israelense, "Haaretz", os palestinos atiraram 10 bombas no oeste de Negev hoje, mas ninguém foi ferido. A 38 quilômetros de Gaza, os conflitos também continuam e três bombas explodiram na manhã de hoje. Os ataques vieram da Força de Defesa de Israel e centenas de tropas aguardam autorização para dar início ao ataque terrestre.
"A Força Aérea de Israel informa ter matado ao menos 271 militantes palestinos até a manhã de hoje e os oficiais afirmam não ter planos de terminar com as operações. Uma mulher israelense foi morta e outras seis pessoas foram feridas no sábado nos ataques palestinos no oeste de Negev", informou o jornal.
Segundo informações divulgadas pela rede de TV americana CNN, o ministro da Defesa de Israel, Ehud Barak, disse hoje que os ataques israelenses continuarão até que os militantes do Hamas estejam prontos para "mudar o seu comportamento".
"Não será uma operação pequena. A guerra contra o terrorismo está longe de terminar e temos que ser firmes no sentido de alterar a situação no sul", disse Barak que afirmou ainda que "foi obrigado a responder [os ataques] com vigor depois da retirada de Gaza há três anos.
"Nós temos experiência em bombardeios contra civis e inocentes e isso é uma coisa que nós não aceitamos. Eu estou confiante que o governo americano não esperaria um dia para atacar se a cidade de San Diego [Califórnia] fosse bombardeada por Tijuana [México] com centenas de bombas", disse Barak à CNN.
27/12/2008 - 20h46
Brasil critica "reação desproporcional" de Israel; Já chega a 225 o número de mortos no bombardeio de Israel sobre a Faixa de Gaza na manhã deste sábado (27)


Repercussão


- O presidente palestino, Mahmud Abbas, condenou os ataques, segundo seu porta-voz. Ele disse que iniciou uma série de "contatos urgentes" com líderes internacionais para que tentem interromper a agressão, disse Nabil Abu Rudeina à France Presse.
- A Casa Branca pediu que Israel evite baixas civis em seus ataques aéreos a Gaza e que o Hamas pare de lançar ataques contra Israel para que a violência possa cessar.
O comunicado lido pelo porta-voz Gordon Johndroe também pede ao Hamas que renuncie às atividades terroristas se quiser exercer um papel no futuro do povo palestino.
A Casa Branca também informou que o presidente George W. Bush já conversou sobre os ataques com a secretária norte-americana de Estado, Condoleezza Rice.
- O presidente da França e da União Européia, Nicolas Sarkozy, pediu a "suspensão imediata de disparos de foguetes contra Israel, assim como dos bombardeios israelenses a Gaza", segundo um comunicado da presidência.
- O responsável pela Política Externa da União Européia, Javier Solana, pediu um "cessar fogo imediato" em Gaza, segundo um porta-voz.
- Os ministros de Relações Exteriores dos países árabes anunciaram que vão realizar neste domingo, no Cairo, uma reunião de emergência para tomar posição sobre os confrontos em Gaza, informou a Liga Árabe.
- A Líbia, único país árabe atualmente no Conselho de Segurança das Nações Unidas, informou que vai pedir uma reunião de emergência do conselho.
- O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, pediu o fim imediato das agressões.
- A Rússia pediu a Israel que detenha a "operação de grande envergadura" em Gaza e ao Hamas que pare de lançar foguetes contra o território israelense, segundo comunicado do Ministério de Relações Exteriores.
- O ministro alemão de Assuntos Exteriores, Frank-Walter Steinmeier, criticou o fim unilateral da trégua com Israel por parte do Hamas, ao mesmo tempo em que pediu à parte israelense que ofereça "uma resposta proporcional" e evite as vítimas civis.

28/12/08 - 13h41 - Atualizado em 28/12/08 - 14h18
-Venezuela mostra 'indignação' com ataque de Israel à Faixa de Gaza
Governo Chávez acusa EUA de ser 'cúmplice' de Israel.País pede à comunidade internacional que intervenha no caso.
O governo da Venezuela expressou neste domingo (28) sua "profunda indignação" com o "criminoso ataque" de Israel à Faixa de Gaza e pediu à comunidade internacional para "empreender uma campanha em massa de rejeição a estas infames ações violentas".
Em comunicado, o Ministério das Relações Exteriores da Venezuela manifestou sua "solidariedade para com o povo palestino", e acusou o governo do presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, de ser o "único cúmplice" do ataque.
Caracas destacou que a posição oficial de Washington de que "para que acabe a violência na região (de Gaza) devem cessar os ataques a Israel (...) poderia constituir o invariável 'selo de ouro' da criminosa gestão do Governo dos EUA" que deixa o poder.
O governo do presidente venezuelano, Hugo Chávez, desafiou "a ONU a exercer sua autoridade e aplicar as múltiplas resoluções adotadas em favor do povo palestino e contra a violência de Estado praticada pelo Governo de Israel".
Isso, por considerar que é o "único caminho para garantir uma paz duradoura e o fim de fatos como estes, que são absolutamente contrários à Carta das Nações Unidas e às demais normas internacionais".



Muito me impressiona o fato das nações se preocuparem tanto com esse conflito secular....No entanto, a preocupação da comunidade internacional é só quando Israel reage as agreções sofridas. Pra eles Israel deve suportar tudo sem reação alguma. Pois mais de 100 foguetes palestinos haviam sido lançãdos da Faixa de Gaza conta Israel e ninguém condenou esses ataques....Mas só foi Isrrael iniciar uma pequena reação...que governos do mundo inteiro pedem a suspenção imediata dos ataques....Não entendo isso....



Parece que eles nunca ouviram falar que nunca teremos paz naquela região, pois a própria Biblia diz em I Tessalonicenses 5:3 - Pois que, quando disserem: Há paz e segurança, então lhes sobrevirá repentina destruição, como as dores de parto àquela que está grávida, e de modo nenhum escaparão.



A biblia não fala assim de outra nação...fala de Israel que é nação eleita de Deus, Israel é o relógio de Deus, é o termômetro, a bússola que orienta o homem na terra. Logo tudo que a Biblia fala tem uma conotação com esse maravilhoso pais...com esse povo atormentado, que durante quase dois mil anos foram humilhados, maltratados, ignorados, despresados...ficaram sem pátria, não tinham uma origem, suas harpas ficaram penduradas, seus cantos cessaram...suas esperanças foram banidas...foram mortos aos milhares...muitos deles queimados vivos...mas a palavra de Deus foi fiel para com eles quando diz em Isaías 66:8 - Quem jamais ouviu tal coisa? Quem viu coisas semelhantes? Poder-se-ia fazer nascer uma terra num só dia? Nasceria uma nação de uma só vez? Mas Sião esteve de parto e já deu à luz seus filhos. Ai o profeta já falava da resutauração de Israel em 1948, quando o nosso brasileiro Osvaldo Aranha(secretário Geral da ONU), batia na tribuna da ONU decretado a criação do estado Judaico.


Por isso meu irmão e amigo, fique atento ao que acontece nessa região...nem tudo que publicam contra Israel é verdadeiro...E é dai que a besta e o falso profeta irá adquirir a confiança da população mundial para o estabelecimento de seu domínio, pois irá encontrar uma fórmula mágica para estabelecer a paz nessa região...só que sabemos que isso nunca será possível. Só com o Grande Rei JESUS!. No entanto, esse grande lider mundial irá mostrar as bases definitivas de um acordo de paz, irá encontrar a solução para acabar com a fome no mundo, sobretudo, na Africa, irá apresentar soluções para resolver a Grande Crise Econômica que o mundo estará atravessando nos próximos anos, enfim...será o grande solucionador dos problemas da humanidade.

No entanto, nem o primeiro objetivo ele irá alcançar - Paz no Oriente Médio- Pois esse conflito tem origem com a desconfiança de Abraão na promessa de Deus quando lhe prometeu um filho e como a promessa demorava, Abraão deitou-se com a serva de sua esposa e teve um filho que o denominou de Ismael. Pronto! ai está a origem do conflito, pois hoje os ismaelitas se dizem filhos primogênitos de Abraão. No entanto, sabemos que os filhos da promessa não são os filhos da escrava(ismaelitas) e sim os filhos da legítima(judeus). Esse ódio mortal entre os filhos da escrava e da legítima irá durá até o fim dos tempos.

Além disso, Deus ordenou a Abrão em Gn 12:1 - E disse-lhe: Sai da tua terra, dentre a tua parentela e da casa de teu pai e dirige-te à terra que eu te mostrar. Onde encontramos ai Deus jurando fidelidade a Abrão, Mas Deus falou para ele ir sem parênteses, no entanto, em Gênesis 12:4 - diz: Assim partiu Abrão como o SENHOR lhe tinha dito, e foi Ló com ele; e era Abrão da idade de setenta e cinco anos quando saiu de Harã.

Veja: foi Ló com ele. Isso faz com que a ordenança de Deus não seja cumprida em sua totalidade. Logo, essa é mais uma razão desee conflito. Pois há entre os descendentes de Abrão os filhos de Ló que habitam na Jordânia, parte do Libano e da Síria. Esses quando não estão contra Israel - que é comum- ficam em cima do muro, ou seja, não dizem de qual lado estão.

Que Deus continue te abençoando e que o Espírito do Senhor possa abrir tua mente para que possas entender os mistérios de Deus descritos aqui.



Contudo, fique em alerta, pois ainda esse ano poderemos ter conflitos com dimensões muito maiores....Maranata!

Nenhum comentário:

Postagem em destaque

Seita chinesa acredita que Jesus reencarnou em mulher

A Igreja do Deus Todo-Poderoso (IDTP) é uma religião que nasceu no início dos anos 90 na China, e crê que Jesus reencarnou em uma mulher ch...