sábado, 31 de agosto de 2013

Ataque eminente dos EUA a SÍRIA, oque virá depois?

A cada dia pode ser visto mais um passo da caminhada do Oriente Médio rumo à concretização final das profecias. O acontecimento que chocou o mundo nesta semana diz respeito ao uso de armas químicas em Damasco.


Até o momento, cerca de 3.600 pessoas foram hospitalizadas e mais de 300 já faleceram por causa desse ataque químico. Não entraremos no mérito de onde partiu esse ataque e quem está por trás desses atos que podem até desencadear um conflito mundial de proporções. Sem dúvidas, há grupos interessados em estabelecer a Nova Ordem Mundial e quase tudo o que ocorre relacionado aos poderes deste mundo é fruto de manipulação e de mentira. Ataques de falsa bandeira são recorrentes. Porém, nos focaremos nas possíveis consequências...
As imagens fortes de crianças vitimadas por esse tipo de armamento percorreu o mundo e aproximou ainda mais a possibilidade de uma intervenção militar armada naquele país. No dia 23/08/12, o secretário-geral da ONU, Ban Ki Moon, disse que uma intervenção na Síria é "questão de tempo". Países ocidentais, como a França, têm defendido abertamente essa intervenção.
Os EEUU, que até o momento tinha mantido cautela, declarou, através do secretário de Defesa, Chuck Hagel, que está mobilizando forças para uma possível ação militar contra a Síria, caso o presidente Barack Obama decida por esta opção. O vídeo abaixo mostra claramente que a presença militar dos EEUU aumentou consideravelmente nos últimos dias no Mediterrâneo:
 
  
No entanto, o que torna a Guerra civil na Síria tão decisiva no aspecto escatológico, é que países como Rússia, Irã e China se opõem veementemente a qualquer tipo de ação militar na Síria.
No dia 23/08/13, o governo russo declarou oficialmente que as acusações contra Bashar Al Assad com respeito ao uso de armas químicas foram "pré-fabricadas", deixando clara a posição russa nesse contexto.  No dia 24/08/13, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do Irã declarou que existem provas que grupos opositores a Assad perpetraram o ataque químico desta semana na Síria.
Estaremos atentos aos desdobramentos desse cenário. Os combates continuam ocorrendo em Damasco. No Egito, como já temos destacado, há um clima de crescente instabilidade que pode levar também a uma guerra civil. Israel e forças militares do Hesbollah no Líbano tem trocado ataques aéreos nesses últimos dias. Israelenses e palestinos estão em pleno processo de tratado de paz, envolvendo Jerusalém Oriental, onde se encontra o Monte do Templo.

Profecias como Isaías 17:1, Ezequiel 38 e 39 e aquelas relacionadas à manifestação do anticristo ficam cada vez mais ligadas aos dias que estamos vivendo. Como temos destacado, a Síria não pode ser comparada ao Iraque ou ao Afeganistão. Por trás do conflito sírio há o interesse das grandes potências. O que sairá dali, seja um grande conflito ou um surpreendente acordo de paz, trará desdobramentos cruciais para o cumprimento final das profecias bíblicas.
Hoje(31/08) foram vistas baterias antiaéreas sendo instaladas em Israel, isto é, o seu sistema DEMO de interceptação de misseis já está praticamente pronto, o que significa dizer que o ataque americano a Síria acontecerá a qualquer momento e só Deus sabe as proporções que isso pode tomar. Pois o presidente russo desafiou os EUA a apresentar provas que o ditador s´rio usou armas químicas. Estaremos atentos.

Nenhum comentário:

Postagem em destaque

Cientistas tentam explicar relato do Livro de Josué sobre o Sol parando

Pesquisadores da Universidade de Cambridge, na Inglaterra, publicaram os resultados de uma pesquisa inédita na revista científica Astronom...