sábado, 18 de fevereiro de 2017

Língua do Império Romano pode ser a oficial da União Europeia


A União Europeia possui 24 idiomas como suas línguas oficiais, contemplando a diversidade de sua formação desde o início. Contudo, no dia-a-dia da instituição o inglês passou a ser a mais usada, seguido do francês e do alemão.

A saída do Reino Unido, chamada de Brexit, criou uma espécie de aversão ao idioma. Assim,  o professor italiano Nicola Gardini sugeriu que o antigo latim passasse a ser a língua hegemônica da União Europeia. Seria uma espécie de tributo ao Império Romano, que dominava a maior parte do que hoje é a UE.
Vista com descrença no início, a ideia está ganhando cada vez mais apoiadores na Itália. O Velho Continente busca reforçar a sua identidade, sob a ameaça de ver mais países saindo do bloco. França e na Holanda podem ser os próximos, dependendo dos resultados das eleições.
O livro de Gardini, Viva o latim: história e beleza de uma língua inútil, é hoje um sucesso.
Lançado em maio de 2016, o livro já está em sua oitava edição na Itália e traduzido para outros idiomas. A possibilidade dessa ideia ser aceita pela União Europeia é remota, mas parece estar ganhando espaço entre intelectuais.
Em entrevista ao jornal El País, o estudioso defende que a volta ao latim não seria um retrocesso muito menos uma extravagância, mas “uma forma da Europa se reconhecer em sua identidade e no idioma que estruturou o seu desenvolvimento como civilização”.
Entre seus argumentos estão o fato que apesar de ser considerada hoje uma língua morta,  sobreviveu muito além de seu tempo, tanto nas liturgias da igreja católica quanto na literatura.  Além disso, é a língua-mãe de vários outros idiomas da UE, como português, espanhol, italiano, francês e romeno.
O fato é que, seguindo o tratado da União Europeia, o inglês deixará de ser uma das línguas oficiais do bloco após a saída do Reino Unido. Ainda que outros países como Irlanda e Malta falem inglês, junto ao órgão elas protocolaram os idiomas gaélico e o maltês.
Esta não é a primeira tentativa de fazer do latim a língua oficial do bloco econômico. O lema da União Europeia, “Unidos na diversidade” frequentemente é grafado em latim: “In varietate concordia”. Alguns órgãos da UE usam o seu nome em latim em logotipos e endereços da internet, visando não ‘privilegiar’ nenhuma língua nacional.
Quem buscar o site do Conselho da União Europeia encontrará www.consilium.europa.eu, já o do Tribunal de Justiça é www.curia.europa.eu. É bastante visível nos logotipos dessas instituições, assim como o do Tribunal de Contas, seus nomes em latim: Consilium, Curia, Curia Rationum.
Estamos de olho....

Nenhum comentário:

Postagem em destaque

Em 1/3 dos países do mundo é proibido evangelizar

As leis que proíbem a blasfêmia são “alarmantemente difundidas” em todo o mundo, com muitos países estabelecendo punições desproporcionais,...